Mudanças em decretos sobre liberação de esportes em SC confunde população; entenda

Novo decreto estadual emitido na segunda-feira (29), que já está em vigor, altera o que consta no anterior, publicado 10 dias antes

O governo do Estado emitiu um novo decreto nesta segunda-feira (29), com mudanças no que diz respeito à prática de esportes em Santa Catarina. A alteração trouxe algumas dúvidas à população sobre o que está ou não permitido no Estado.

Prática de atividades esportivas coletivas de cunho recreativo sem contato físico está liberada em todos os níveis de risco – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Arquivo/SecomPrática de atividades esportivas coletivas de cunho recreativo sem contato físico está liberada em todos os níveis de risco – Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Arquivo/Secom

O novo decreto estadual nº 1.232/2021, que já está em vigor, altera o que consta no decreto nº 1.218/2021, e passa a autorizar a prática de atividades esportivas coletivas de cunho recreativo sem contato físico em todos níveis de risco para a Covid-19: alto, moderado, grave e gravíssimo.

A intenção do governo do Estado é regrar a prática de esportes com mais de um participante, reforçando a proibição de toda e qualquer atividade que gerar contato e aglomeração.

O antigo texto proibia as práticas esportivas coletivas recreativas, competições e afins, com ou sem contato físico entre as pessoas, em qualquer local, público ou privado, em todos os níveis de risco.

O que vale agora

No entanto, a SES (Secretaria de Estado da Saúde) destaca que a portaria nº 1005, de dezembro de 2020, continua em vigor. Essa portaria libera os esportes coletivos recreativos nos níveis alto, moderado e grave, mas proíbe os esportes coletivos recreativos com contato físico no nível gravíssimo da matriz de risco.

Sendo assim, os jogos de futebol, por exemplo, seguem proibidos no nível gravíssimo. 

Os eventos organizados pela Fesporte também estão proibidos. As demais medidas de enfrentamento à pandemia previstas no decreto vigente – Decreto nº 1.218/2021 – permanecem inalteradas e valem até 5 de abril.

+

Saúde