Conheça as fake news sobre Covid-19 que mais preocupam a comunidade médica

ND+ listou as notícias falsas mais comuns sobre a doença que se espalham pelas redes sociais e podem ser um risco para a saúde pública

Pesquisadores, cientistas e médicos de todo o mundo ainda buscam respostas para entender melhor o funcionamento do “inimigo invisível”  novo coronavírus, causador da pandemia que vem assolando o mundo desde 2020.

Vários imunizantes como o de Oxford, desenvolvido pela farmacêutica Astrazeneca, a Coronavac, pela farmacêutica Sinovac e o Instituto Butantan, em São Paulo, e a russa Sputnik V, trazem mais segurança à população mundial nessa difícil batalha.

No entanto, apesar da evolução das vacinas e das descobertas sobre o vírus e suas variantes, inúmeras notícias falsas seguem sendo disseminadas, o que coloca em risco a saúde da população, sobretudo nos locais em que o sistema de saúde já está em colapso, caso de Santa Catarina.

Novo coronavírus – Foto: PixabayNovo coronavírus – Foto: Pixabay

O ND+ listou as fake news mais preocupantes sobre a doença. Confira:

Vacina contra a Covid-19 altera DNA humano: um dos boatos mais perigosos aponta o suposto efeito nocivo da tecnologia de RNA mensageiro, utilizada por alguns imunizantes. A tecnologia utilizada no desenvolvimento das vacinas já foi testada e aprovada e não tem qualquer efeito ou poder de transformação sobre o DNA de uma célula humana.

Vacina contra a Covid-19 pode colocar um microchip no corpo do vacinado:  a notícia falsa frequentemente repassada por WhatsApp diz que o imunizante teria um chip para colher a “identidade biométrica” da população. Porém, não existe qualquer vacina com microchip em desenvolvimento ou já desenvolvida no mundo.

Termômetros infravermelhos causam doenças no cérebro: outra postagem repassada pelas redes sociais e já desmentida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é a de que termômetros do tipo infravermelho, utilizados para aferir a temperatura sem contato físico, prejudicam o cérebro dos usuários. Além disso, embora a temperatura muitas vezes seja medida pelo pulso com esse tipo de termômetro, o local indicado para a medição correta é a cabeça.

Vírus foi criado em laboratório: um boato disseminado pela virologista chinesa Li-Meng Yan ganhou o mundo quando ela afirmou que o novo coronavírus (Sars-CoV-2) teria sido criado em um laboratório de Wuhan, na China. A informação falsa, desmentida inclusive pela OMS (Organização Mundial da Saúde), influenciou uma escala de desinformação e desconfiança sobre a vacina Coronavac, por ser produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac.

+

Saúde