Moacir Pereira

Noticias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC, da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Contaminados na Policia Militar é superior a 100%, diz Aprasc

Números são mais preocupantes no Corpo de Bombeiros: 170%

O aumento no número de casos do novo coronavírus também está atingindo de forma dramática os policiais e bombeiros militares. De acordo com o relatório da Diretoria de Saúde e Promoção Social da Polícia Militar de Santa Catarina, do dia 8 de julho, foram registrados 114 casos suspeitos, 117 confirmados e 73 recuperados da covid 19.
Segundo nota da Aprasc “em comparação com o boletim divulgado em 22 de junho, foi registrado um aumento de 148%, no número de caos confirmados. Naquela data, eram 47 casos da covid-19 confirmados, 47 suspeitos e 28 recuperados em policiais militares (entre praças e oficiais) no Estado até as 19h de 22 de junho). Existem casos confirmados em todas as 12 RPMs, nas especializadas, diretoria e na Fapom.”
Situação de maior gravidade atinge o Corpo de Bombeiros, segundo os levantamentos da Aprasc: “O Corpo de Bombeiros de Santa Catarina (CBMSC) também divulgou relatório e a situação também é mais preocupante. De acordo com o relatório do dia 07/07, são 54 casos confirmados (14 são bombeiros comunitários e 2 são estagiários), 33 suspeitos (1 é bombeiro comunitário) e 25 recuperados (4 bombeiros comunitários e 2 estagiários). Em comparação com o boletim divulgado em 23/06, houve um aumento de 170% nos casos confirmados. Naquela data, eram 20 casos confirmados (02 são estagiários), 3 suspeitos (01 é estagiário) e 9 recuperados.”
Tanto a PMSC como o CBMSC informaram que todos os casos suspeitos e confirmados foram afastados do trabalho.
A APRASC está em alerta e acompanhando de perto as condições de trabalho dos praças, bem como dando o apoio necessário e possível para que sejam todos testados nos municípios e resguardados em casos positivos da doença. A entidade tem cobrado para que cada corporação viabilize os equipamentos de proteção necessários e sejam realizados testes no maior número possível de policiais e bombeiros militares, além da população, para dar mais segurança sanitária a todos.
O presidente João Carlos Pawlick falou sobre o problema: “Estamos cobrando a realização de testes junto aos comandos. Mas as próprias prefeituras podem e devem providenciar. Afinal, esses guerreiros estão nas ruas e muito expostos. Isso protege a tropa e evita o contágio.”

+

Moacir Pereira