Contratos suspeitos na pandemia somam R$ 1,4 bilhão, aponta levantamento

Loja de vinhos foi eleita a melhor opção para fornecer ventiladores pulmonares, enquanto saco de lixo foi vendido a peso de ouro e máscara 814% mais cara

Grupos mal intencionados espalhados pelo país se aproveitaram do decreto de calamidade pública do governo federal, que agilizou para os administradores do Executivo a compra de equipamentos e insumos para o combate à Covid-19.

Segundo levantamento do R7, governos estaduais e municipais de 26 das 27 unidades da federação foram responsáveis por fazer os órgãos de investigação trabalhar pesado nessa pandemia.

Oito Estados tiveram problema ao adquirir respiradores – Foto: MD/Governo Federal/Divulgação/ND

Só se salvou o Estado do Espírito Santo, que mesmo assim viu carros de polícia em suas cidades para cumprir mandados contra empresas e pessoas denunciadas por supostos crimes ocorridos longe dali: a compra de testes superfaturados no Distrito Federal e a aquisição de medicamentos em Cabo Frio (RJ).

+

Saúde