Coronavírus: Blumenau vai testar cloroquina em pacientes tratados em casa

Medicamento recebido para novo braço do estudo pode atender até 20 pessoas diagnosticadas com a Covid-19

Blumenau vai ampliar o estudo sobre os efeitos da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com o novo coronavírus. A expectativa é de que até sexta-feira (15) pessoas em tratamento domiciliar contra a Covid-19 comecem a usar o remédio em casa.

“Esse estudo vai nos dar várias respostas. Vamos saber, por exemplo, se o medicamento é eficaz, se é seguro e qual o melhor momento de usar”, explica o médico Adrian Morales Kormann, da Angiocor Pesquisas Clínicas, integrante da Coalizão Covid Brasil.

O medicamento recebido em Blumenau para esse braço do estudo pode atender até 20 pessoas. Os pacientes tratados em casa serão divididos em dois grupos: um vai receber doses de hidroxicloroquina e o outro placebo. Ambos serão acompanhados através de ligações telefônicas.

Leia também:

Segundo Adrian, esses participantes serão selecionados na Central de Triagem instalada no setor 3 do Parque Vila Germânica. Para isso, é preciso atender alguns critérios, como idade mínima de 18 anos e não estar grávida. A pessoa deve ainda assinar um termo aceitando receber o tratamento com o medicamento.

“(O remédio) tem efeitos colaterais graves, que podem causar arritmias no coração e paradas cardíacas. Então o paciente tem que ser avaliado com eletrocardiograma. O cardiologista vai dizer se ele pode ou não tomar o medicamento. E, mesmo depois de começar (o tratamento), ele precisa ser monitorado”, detalha o médico.

Só ao fim da pesquisa, que acontece em território nacional, se terá resposta sobre a eficácia do remédio no tratamento do novo coronavírus. Por isso, Adrian deixa um alerta:

“Não existe nenhum estudo no mundo que comprove a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus. Por isso a recomendação de várias entidades médicas no Brasil e no exterior para uso do medicamento num contexto de estudo científico, como é o nosso”.

Estudo é nacional

O estudo que Blumenau integra é coordenado pela BRICNet (Rede Brasileira de Pesquisa em Terapia Intensiva) em parceria com o HCor (Hospitais do Coração), Albert Einstein e Sírio-Libanês e o Ministério da Saúde.

A iniciativa foi batizada de Coalizão Covid Brasil e no Vale do Itajaí já ocorre com pacientes internados no Hospital Santo Antônio, com Covid-19. Até o momento, 11 pessoas aceitaram participar e todas evoluíram para alta.

+

Saúde