Covid-19 avança em SC e todas as regiões voltam ao alerta máximo no mapa; confira

Secretaria de Estado da Saúde suspeita que agravamento está atribuído aos efeitos do feriado prolongado de Corpus Christi e fala em nova onda

O governo divulgou a atualização da pandemia em Santa Catarina neste sábado (12). O novo mapa acende alerta, com todas as regiões de volta ao nível gravíssimo (cor vermelha) para a Covid-19.

Novo mapa de risco mostra agravamento da pandemia em SC – Foto: SES/ReproduçãoNovo mapa de risco mostra agravamento da pandemia em SC – Foto: SES/Reprodução

Todas as 16 regiões aparecem com o pior índice dos indicadores da pandemia. A região da Grande Florianópolis, que vinha se mantendo no patamar grave (laranja) há semanas, além do Nordeste e do Médio Vale do Itajaí, que estavam com o mesmo índice na semana anterior, pioraram para o gravíssimo.

As demais 13 regiões permanecem em situação gravíssima para transmissão da Covid-19 em relação à última atualização.

Efeitos do feriadão

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde, uma das maiores preocupações continua sendo a capacidade de atenção, que avalia a taxa de ocupação de UTIs no Estado. Todas as regiões foram avaliadas com risco máximo (nota 4).

“Além disso, houve aumento considerável no índice de transmissibilidade em todo o Estado, possivelmente fruto do feriado prolongado”, avalia Bianca Vieira, diretora de Tecnologia da Informação e Governança Eletrônica da SES.

Todas as 16 regiões apresentaram maior nível de variação do número de casos de Covid-19, sendo classificadas com a cor vermelha.

Bianca ainda alerta que há um ensaio de alta no número de casos se formando. “É possível que estejamos entrando em nova onda, reforçada pela queda das temperaturas que afeta a imunidade geral da população. É importante reforçar à população a necessidade de se vacinar, independentemente da vacina disponível, pois talvez estejamos à frente de uma das maiores ondas no estado de Santa Catarina, sem ainda termos nos recuperado dos impactos causados pela última onda de fevereiro e março no sistema hospitalar”.

Indicadores mostram alerta na Saúde em SC – Foto: Reprodução/SESIndicadores mostram alerta na Saúde em SC – Foto: Reprodução/SES

Os indicadores mostram a seguinte situação atual da pandemia em Santa Catarina:

  • As regiões ainda registram alta ocorrência de mortes.
  • Todas as regiões do Estado estão classificadas no gravíssimo para o aumento de casos de Covid-19.
  • O percentual de casos positivos dos exames processados está acima de
    30% na maior parte do Estado.
  • Todas as regiões estão classificadas em nível gravíssimo, ou seja, em alerta máximo para a ocupação de leitos de UTI reservados à Covid-19.

Quatro itens são levados em consideração na avaliação da matriz:

  • Evento sentinela: mede a mortalidade da Covid-19. Nas regiões em alerta, o índice aponta que a pandemia continua em expansão;
  • Transmissibilidade: variação no número de confirmação e casos ativos. Regiões em alerta apresentam alta no número de casos;
  • Monitoramento: casos investigados e inquérito de síndrome gripal na comunidade;
  • Capacidade de atenção: mede a ocupação dos leitos de UTI.

O que está valendo em Santa Catarina?

O decreto em vigor em Santa Catarina tem regras que valem até o dia 15 de junho. 

Confira as regras em rigor: 

  • Casas noturnas, boates, casa de shows, pubs e afins:
    • Nos níveis de riscos potenciais gravíssimo e grave, os estabelecimentos poderão, excepcionalmente, utilizar o espaço de seu salão para a realização de eventos sociais, seguindo as regras da Portaria SES nº 455, com limite de ocupação de até 100 pessoas gravíssimo e de até 150 no grave, de acordo com o fator de distanciamento estabelecido na Portaria e permissão para funcionamento das 6h00 às 23h00;
    • No nível de risco potencial alto, permissão para funcionamento das 6h à meia-noite, seguindo as regras da portaria nº 1.024;
    • No nível de risco potencial moderado, permissão de funcionamento conforme o determinado no alvará, seguindo as regras da portaria nº 1.024.
  • Eventos sociais (casamentos, aniversários, jantares, confraternizações, bodas, formaturas, batizados, festas infantis e afins: permissão para funcionamento das 6h00 às 23h00 nos níveis gravíssimo e grave, seguindo a portaria nº 455;
  • Congressos, palestras, seminários e reuniões, de caráter público ou privado: permissão para funcionamento das 6h às 23h nos níveis gravíssimo e grave, seguindo a portaria nº 455;
  • Parques, praças, jardins botânicos, balneários, faixas de areia de praias: proibição de concentração de aglomeração de pessoas;
  • Venda de bebidas alcoólicas: proibido o fornecimento para consumo no próprio estabelecimento nos níveis gravíssimo e grave, das 23h às 5h e, no nível alto, das meia-noite às 5h; 
  • Transporte coletivo urbano municipal, transporte coletivo intermunicipal e transporte coletivo interestadual: limite de ocupação de 50% por veículo no nível gravíssimo, 70% no nível grave e 100% nos níveis alto e moderado, mantidas todas as linhas e itinerários, seguindo as regras da portaria nº 22;
  • Serviços de alimentação (cafeterias, casas de chás, casas de sucos, lanchonetes, confeitarias, sorveterias, lojas de conveniências, restaurantes, pizzarias, churrascarias, cantinas, bares e afins):
    • Nos níveis gravíssimo e grave, permissão de funcionamento das 5h às 23h, limitado o ingresso de novos clientes até 22h;
    • No nível potencial alto, permissão de funcionamento das 5h00 à meia-noite, limitado o ingresso de novos clientes até 23h;
    • No nível potencial moderado, permissão de funcionamento conforme horário fixado no alvará de funcionamento do estabelecimento.
  • Permissão das seguintes atividades, com funcionamento das 5h às 23h, em todos os níveis de risco:
    • Academias;
    • Utilização de piscinas de uso coletivo, clubes sociais e esportivos, com limite de ocupação simultânea de 50%;
    • Parques temáticos e zoológicos, com limite de ocupação simultânea de 50%;
    •  Cinemas, teatros e circos;
    • Museus;
    • Igrejas e templos religiosos;
    • Áreas de uso coletivo em hotéis e similares, com limite de ocupação simultânea de 50%
    • Eventos públicos na modalidade drive-in;
    • Shoppings, centros comerciais, galerias e comércio de rua;
    • Feiras, exposições e leilões;
    • Parques aquáticos e complexos de águas termais;
    • Demais atividades e serviços privados não essenciais, com limite de ocupação simultânea de 50%;
  • Permitidos a funcionar das 23h às 5h, nos níveis gravíssimo e grave, e da meia-noite às 5h, no nível alto:
    • Farmácias, hospitais e clínicas médicas;
    • Serviços funerários;
    • Serviços agropecuários, veterinários e de cuidados com animais em cativeiro;
    • Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
    • Estabelecimentos que realizem atendimento exclusivamente na modalidade de tele-entrega;
    • Postos de combustíveis;
    • Estabelecimentos dedicados à alimentação ou à hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, situados em estradas e rodovias;
    • Hotéis e similares.
  • Embarcações de esporte e recreio, limitação de ocupação de 50% da capacidade, sendo proibido amadrinhar as embarcações, em todos os níveis de risco;
  • Permitido o funcionamento de agências bancárias, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito, segundo as regras da portaria nº 86; 
  • Funcionamento de supermercados, com limite de acesso de até 2 pessoas por família e ocupação simultânea de até 50% da capacidade do estabelecimento, das 5h às 23h, em todos os níveis de risco.
  • Para as seguintes atividades, a liberação de funcionamento e realização, em todos os níveis de risco, ocorrerá mediante deliberação tripartite entre o Município onde se realizará a atividade, a Região de Saúde do Município e a SES:
    • Competições esportivas de rua, públicas ou privadas;
    • Eventos de grande porte, que tenham repercussão regional, estadual ou nacional.
+

Saúde

Loading...