Covid-19: Centro de Referência ultrapassa 18 mil atendimentos em São José

Espaço conta com profissionais médicos e enfermeiros devidamente preparados para atender pacientes com suspeita de terem contraído o coronavírus

Número de atendimentos aumentou no Centro de Referência de Sintomáticos Respiratórios de São José desde junho deste ano – PMSJ/Divulgação/NDNúmero de atendimentos aumentou no Centro de Referência de Sintomáticos Respiratórios de São José desde junho deste ano – PMSJ/Divulgação/ND

Desde que foi instalado no Cati (Centro de Atenção à Terceira Idade), no dia 17 de março, o Centro de Referência de Sintomáticos Respiratórios de São José já ultrapassou 18 mil atendimentos. O local conta com profissionais médicos e enfermeiros devidamente preparados para atender pacientes com suspeitas da Covid-19, realizando acolhimento, triagem e consultas todos os dias das 7h às 19h.

De acordo com uma análise realizada pela DAE (Diretoria de Atenção Especializada), na primeira semana de março, os números de busca por atendimento foram consideráveis, porém, nas semanas subsequentes, nos meses de abril e maio, houve uma queda significativa. No entanto, desde junho a média de atendimentos vem aumentando. Apenas entre abril e maio, a média de atendimentos era de 10 a 30 pacientes por dia. Este número subiu para uma média de 60 a 80 atendimentos diários, sendo que, nas últimas semanas, os números dobraram, passando a oscilar entre 100 e 250 pacientes por dia.

A prefeita de São José, Adeliana Dal Pont, destaca a importância da instalação de um centro de atendimento exclusivo para casos suspeitos de Covid-19 na cidade. “Além de reunirmos em um só local profissionais capacitados e toda a estrutura necessária para prestar essa assistência, a centralização do atendimento também contribui para evitar que pacientes infectados pelo coronavírus ou outras doenças respiratórias se dirigissem às unidades de saúde, aumentando o risco de transmissão do vírus”, ressalta.

Em quatro meses, dos atendimentos realizados no Centro de Referência, 7,6 mil foram atendimentos médicos e 3,1 mil foram orientações pela central telefônica – PMSJ/Divulgação/NDEm quatro meses, dos atendimentos realizados no Centro de Referência, 7,6 mil foram atendimentos médicos e 3,1 mil foram orientações pela central telefônica – PMSJ/Divulgação/ND

Estratégia teve resultado positivo

Inicialmente a estratégia de retirar os pacientes sintomáticos ou com doenças respiratórias das unidades de saúde, reduzindo a circulação do vírus, teve um resultado extremamente positivo, acrescenta a secretária de Saúde do município, Sinara Simioni. “Com a chegada do inverno, a imunidade também baixou e hoje, mais do que nunca, precisamos que o cidadão faça a sua parte para que consigamos frear a transmissão do vírus, que tem ganhado força nas últimas semanas”, destaca.

Em quatro meses, dos atendimentos realizados no Centro de Referência, 7,6 mil foram atendimentos médicos e 3,1 mil foram orientações pela central telefônica. Neste período, também foram realizadas 2,6 mil notificações de casos suspeitos, mais de 1,2 mil orientações presenciais que não necessitaram de atendimento médico, 248 intercorrências clínicas e 43 casos foram transferidos para hospitais ou para a UPA. Além disso, foram realizados 3.124 testes para Covid-19 no local.

Segundo a diretora da DAE, Geovana Stedille, chegando ao Cati o paciente que apresenta sintomas respiratórios é acolhido pelo enfermeiro e encaminhado para avaliação médica. “Após atendimento médico, se for necessário é feita a indicação de tratamento, sendo que o paciente recebe a medicação para dar continuidade ao tratamento em casa. Também é feita a orientação sobre as medidas de segurança, isolamento doméstico e demais cuidados de saúde”, explica.

De acordo com a Diretoria de Atenção Especializada, chegando ao Cati o paciente que apresenta sintomas respiratórios é acolhido pelo enfermeiro e encaminhado para avaliação médica.De acordo com a Diretoria de Atenção Especializada, chegando ao Cati o paciente que apresenta sintomas respiratórios é acolhido pelo enfermeiro e encaminhado para avaliação médica.

São considerados casos suspeitos pessoas que apresentem sintomas como tosse, febre acima de 37,8, dor de garganta, coriza, dor de cabeça, dificuldade para respirar, cansaço, dores musculares e que viajaram recentemente ou tiveram contato com alguém que viajou. Os moradores de São José que apresentarem um ou mais destes sintomas devem procurar o CATI ou entrar em contato pelo Ligue Saúde São José: 0800 648 7878.

+

Prefeitura de São José

Loading...