Covid-19: Cidades do Meio-Oeste e Planalto Sul devem decretar novas restrições

Novo decreto deve ser publicado na sexta (24) com medidas unificadas, como a suspensão do transporte coletivo em algumas cidades

As regiões do Meio-Oeste e do Planalto Sul, em Santa Catarina, devem adotar uma gestão regionalizada de combate à pandemia do novo coronavírus, a partir da próxima semana, que começa no dia 27 de julho. Após reunião realizada nesta quinta-feira (23) com as lideranças e autoridades regionais, foi homologado um Centro de Operações e um novo decreto com novas restrições.

Joaçaba fica na região Meio-Oeste de SC – Foto: Prefeitura de Joaçaba/Divulgação/ND

Segundo informações apuradas pelo nd+, o decreto deve incluir a suspensão do transporte coletivo em Capinzal, Joaçaba, Campos Novos, Herval d’Oeste e Luzerna. O decreto unificado deve sair nesta sexta-feira (24), com demais informações oficiais e passar a vigorar a partir de segunda (27).

A região da Ammoc (Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense) compreende os municípios de Água Doce, Catanduvas, Luzerna, Herval d’Oeste, Capinzal, Erval Velho, Ibicaré, Joaçaba, Lacerdópolis, Ouro, Treze Tílias e Vargem Bonita

Já da Amplasc (Associação dos Municípios do Planalto Sul de Santa Catarina), compreende Abdon Batista, Brunópolis, Campos Novos, Celso Ramos, Monte Carlo, Vargem e Zortéa.

O Coes (Centro de Operações de Emergência de Saúde) homologado é composto por prefeitos da região, Ministério Público e demais autoridades. As ações são tomadas uma vez que a região foi considerada em “estado gravíssimo”.

O panorama mudou quando a região foi incluída nesta quarta-feira (22) no mapa do Estado para a Covid-19, alertando para a situação mais crítica possível.

Em termos de testagem, a região afirma que seguirá com o mesmo panorama, com testes sendo adquiridos pelos municípios de modo individual.

Ao passo que a região da Ammoc teve ampliação de quatro leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), a macrorregião do Meio Oeste e Serra Catarinense não teve uma escassez de leitos.

Na última atualização dos dados epidemiológicos do Estado, nesta quinta (23), a macrorregião apontava uma taxa de ocupação de leitos de UTI que está em 63,8%, o menor índice do Estado.

Assim, dos 196 leitos ativos, 38 estão ocupados por pacientes com a Covid-19, 87 por pacientes com outras enfermidades, e 71 ainda estão livres.

Com exceção desta região e do Grande Oeste, as taxas de ocupação estão todas na casa dos 80%, e o índice estadual de Santa Catarina é de 79,4% para os 1.376 leitos de UTI.

Nenhum município da Ammoc está entre as 10 cidades com o maior número de casos à nível estadual. Em Santa Catarina, são 62.282 casos confirmados e 812 mortes.

+

Saúde