Covid-19: como conviver com uma pessoa infectada em segurança?

Segundo a infectologista Rosana Richtmann, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), isolamento social e medidas de higiene são cuidados importantes

Conviver com um paciente infectado pelo novo coronavírus não é uma tarefa simples. Segundo a infectologista Rosana Ricthmann, do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), o paciente deve ter um quarto e banheiro exclusivos e fazer uso da máscara toda vez que sair do cômodo onde fica isolado. Caso ele tenha que cozinhar para outras pessoas, não é recomendado o preparo de peixes e carnes cruas. Já as pessoas que moram na casa devem descartar o lixo da maneira devida e limpar os ambientes com frequência. Não é necessário que o paciente tenha uma louça só para ele ou que suas roupas sejam lavadas separadamente – Foto: Freepik

Segundo a infectologista, é fundamental que o paciente tenha um quarto exclusivo, pois quanto mais tempo uma pessoa permanecer em um ambiente contaminado, maiores são as chances de contrair a Covid-19 – Foto: Freepik

Além de um quarto exclusivo, é importante que o paciente tenha um banheiro só para ele. Caso isso não seja possível, ele deve realizar a limpeza do cômodo toda vez após o uso. Deve-se tomar um cuidado extra com o vaso sanitário, pois o vírus também pode ser eliminado pelas fezes, e superfícies em que o paciente toca, como torneira e maçaneta – Foto: Freepik

Todas as vezes que o paciente tiver que sair do quarto, o uso da máscara é imprescindível. Desta forma, ele não contamina os ambientes nem as pessoas de seu convívio. Vale ressaltar que o ideal é que ele fique isolado em um cômodo exclusivo na maior parte do tempo – Foto: Freepik

Nos casos em que haja a necessidade de o paciente cozinhar para outras pessoas da casa, deve-se prestar atenção redobrada à higiene das mãos. Vírus e bactérias são eliminados no processo de cozimento, portanto não é recomendado o preparo e consumo de peixes e carnes cruas – Foto: Freepik

Para descartar o lixo do paciente, o ideal é que ele o coloque em um saco plástico e deixe-o do lado de fora do quarto. Outra pessoa deve recolher o lixo, envolvê-lo em um segundo saco plástico e por fim, descartá-lo. A médica afirma que não é necessária a utilização de luvas durante o processo, mas ressalta a importância de higienizar as mãos com água e sabão ou álcool gel 70% após o descarte – Foto: Freepik

De acordo com a especialista, o vírus tem uma camada de gordura externa que não resiste a produtos de ação detergente. Para limpar a casa, portanto, podem ser utilizados qualquer produto usual de limpeza que se tenha em casa, como detergente, água sanitária, desinfetantes e álcool gel 70%. A utilização de luvas não se faz necessária. Basta que a pessoa higienize as mãos após o processo – Foto: Freepik

Maçanetas e outras superfícies, além de teclados de computador e telefones, quando compartilhados, merecem atenção especial e devem ser desinfetados de duas a três vezes por dia. Já a limpeza da casa como um todo pode ser feita diariamente – Foto: Freepik

Ritchmann afirma que a roupa do paciente não precisa ser lavada separadamente, exceto nos casos em que houver alguma secreção na peça. Apesar disso, ela ressalta que não é recomendado “sacudir” as roupas antes de colocá-las na máquina de lavar

Também não é necessário que o paciente tenha uma louça só para ele. Lavar os utensílios com água e sabão já é suficiente para que possam ser reutilizados por outras pessoas – Foto: Freepik

+

Saúde