Criciúma vai decretar situação de calamidade pública por Covid-19

Aumento de casos da Covid-19 e a lotação dos hospitais são os principais fatores apontados pelo município

A Prefeitura de Criciúma irá decretar situação de calamidade pública no município pelo aumento de casos da Covid-19 e a lotação dos hospitais no município.

Reunião nesta quinta-feira reuniu prefeitura e hospitais – Foto: Divulgação/NDReunião nesta quinta-feira reuniu prefeitura e hospitais – Foto: Divulgação/ND

“Devido à necessidade de monitoramento permanente da pandemia e elevação dos gastos públicos para proteger a saúde da população, com adoção de medidas drásticas para a contenção do vírus, o Executivo se vê obrigado a decretar Situação de Calamidade Pública no âmbito municipal”, disse a prefeitura por meio de nota.

A decisão foi tomada em reunião nesta quinta-feira (26) entre o prefeito Clésio Salvaro, vice-prefeito Ricardo Fabris, presidente da Amrec, Ademir Magagnin, diretores do Hospital São José, Raphael Farias, e Unimed, Leandro Avani Nunes, além da reitora da Unesc, Luciane Ceretta, presidente do Sindicato dos Médicos da Região Sul Catarinense, Lucínio Alcântara e o Secretário Municipal de Saúde, Acélio Casagrande.

Também ficou definido que o Centro de Retaguarda do Rio Maina passará a dar suporte aos hospitais e à população. Os detalhes do funcionamento serão definidos nesta sexta (27), em regime de urgência.

Também nesta sexta, às 15h, prefeitos atuais e eleitos na Amrec, participarão de uma reunião sobre ações conjuntas que serão tomadas pelos 12 municípios.

Conforme o último boletim da SES (Secretaria de Estado da Saúde) desta quinta-feira, Criciúma tem 11.388 casos da Covid-19 e 122 óbitos.

Lotação dos hospitais

Dados da última segunda-feira (23) apontavam ocupação de 94,5% no Hospital São José, e 100% no Materno Infantil, ambos em Criciúma.

Destes dois, somente o primeiro possui pacientes da Covid-19, tendo 25 dos seus 27 leitos para a Covid-19 ocupados. A unidade possui 37 leitos especiais para a Covid-19, mas dez deles estão inoperantes por falta de técnicos de enfermagem.

Mourão cancela agenda na cidade

O vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, cancelou sua visita para Criciúma, marcada para a última quarta-feira (25), onde participaria de uma palestra na Acic (Associação Empresarial de Criciúma).

Em nota, a entidade, que é organizadora do evento, informou que o adiamento do evento é devido “ao grande aumento no número de casos de Covid-19 na cidade”.

Além do vice-presidente da República, a governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), desmarcou sua visita ao município do Sul do Estado pelo mesmo motivo.

+

Saúde