Covid-19: Entenda por que Joinville e região saíram do nível gravíssimo para o grave

Novo mapa de risco divulgado pelo governo estadual no sábado (15) baixou o risco relacionado ao coronavírus na região Nordeste

O último mapa de risco da Covid-19, divulgado pelo governo de Santa Catarina no sábado (15), trouxe uma boa notícia para os moradores da região Nordeste, da qual Joinville faz parte: após meses no risco gravíssimo, a área passou para o risco grave, em laranja no mapa.

Região Nordeste foi para nível grave em relação à Covid-19 – Foto: DivulgaçãoRegião Nordeste foi para nível grave em relação à Covid-19 – Foto: Divulgação

Além da região Nordeste, apenas outras duas têm o mesmo potencial de risco: a Grande Florianópolis e o Médio Vale do Itajaí. As demais áreas seguem em risco gravíssimo, o mais delicado em relação à Covid-19. Mas, afinal, o que mudou em Joinville e no restante da região Nordeste para que a melhora no quadro fosse possível?

Para entender, é preciso analisar cada parâmetro avaliado pelo Estado na matriz de risco divulgada todas as semanas. Um deles é o evento sentinela, que diz respeito ao número de mortes pelo coronavírus em cada região.

Joinville chegou a ter 20 mortes por dia em março deste ano, mas os números vêm caindo, tanto que este parâmetro é o mais bem avaliado na região, com risco considerado alto.

A transmissibilidade é outro parâmetro em que a região Nordeste tem melhorado, passando de gravíssimo para grave na segunda semana de maio e se mantendo assim. O motivo é a diminuição dos casos confirmados: a cidade teve mais de 5 mil pessoas em isolamento domiciliar, ou seja, casos ativos, em março, passando para 948 atualmente.

Outra dimensão avaliada pela matriz de risco é o monitoramento, no qual a região já tem estado em nível grave nas últimas semanas. Esse parâmetro é usado para analisar a capacidade de monitorar os sintomas e notificar casos positivos e negativos.

Por fim, a região Nordeste ainda está em risco gravíssimo, o pior de todos, na questão da ocupação de leitos de UTI. Nesta segunda (17), 15 pessoas aguardam por um leito de UTI Covid e outras 15 por um leito clínico na macrorregional Norte/Nordeste. O índice já foi muito maior neste ano, mas ainda é preocupante.

Ocupação de UTIs ainda é fator de risco gravíssimo na região Nordeste – Foto: Juliane Guerreiro/NDOcupação de UTIs ainda é fator de risco gravíssimo na região Nordeste – Foto: Juliane Guerreiro/ND

Apesar da matriz de risco mostrar melhora no cenário da pandemia na região, o secretário de saúde de Joinville, Jean Rodrigues, avalia que ainda é preciso analisar os próximos dias para dizer que a situação realmente está estabilizada.

“Estar no nível grave significa que os indicadores baixaram. Mas a gente ainda precisa de uns 15 dias para sentir a realidade. Agora é analisar e ver como vai ficar a situação pra saber se vai estabilizar e começar a cair de vez”, fala Jean.

Ou seja, apesar da melhora, todos os cuidados relacionados à pandemia devem continuar, incluindo uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde