Covid-19: Três regiões de SC retornam para o nível gravíssimo da matriz de risco

A matriz de risco aponta que apenas a região da Grande Florianópolis se manteve no nível grave em comparação aos dados divulgados na última semana

Subiu para 15 o número de regiões no nível gravíssimo na matriz de risco que avalia a situação da Covid-19 em Santa Catarina. A nova atualização foi divulgada na manhã deste sábado (1º) pela Secretaria de Estado da Saúde. 

A matriz de risco aponta que apenas a região da Grande Florianópolis se manteve no nível grave (laranja).

SC tem 15 das 16 regiões no nível gravíssimo da matriz de riscoApenas a região da Grande Florianópolis se manteve no nível grave (laranja) – Foto: Divulgação/SES/ND

Em comparação com a matriz divulgada no último sábado (24), as regiões de Laguna, Médio Vale do Itajaí e Oeste tiveram um aumento, saindo do nível grave para o gravíssimo (vermelho).

Por mais uma semana não há regiões nos níveis alto (amarelo) ou moderado (azul).

De acordo com o último boletim, divulgado nesta sexta-feira (30), Santa Catarina registrou, desde o início da pandemia, 887.935 casos da Covid-19, sendo que 855.020 pacientes já estão recuperados e 19.381 continuam em acompanhamento. Além disso, mais 69 mortes foram confirmadas, levando a um total de 13.534 vítimas desde o início da pandemia.

Quatro itens são levados em consideração na avaliação da matriz:

  • Evento sentinela: mede a mortalidade da Covid-19. Nas regiões em alerta, o índice aponta que a pandemia continua em expansão;
  • Transmissibilidade: variação no número de confirmação e casos ativos. Regiões em alerta apresentam alta no número de casos;
  • Monitoramento: casos investigados e inquérito de síndrome gripal na comunidade;
  • Capacidade de atenção: mede a ocupação dos leitos de UTI.

Veja o que vale em SC:

O Governo de Santa Catarina publicou um novo decreto na noite desta sexta-feira (30) com regras de funcionamento mais flexíveis para casas noturnas. Além disso, segue suspenso o público em competições esportivas, pública ou privada, até 30 de junho deste ano.

Esportes: o que vale de acordo com a matriz?

Risco gravíssimo

    • Esporte de rendimento
      • Competição: proibidas as modalidades de todos os grupos; exceto modalidades de competição a nível Estadual, Nacional e Internacional, quando autorizadas pela Fesporte;
      • Treinamento: permitidas somente as modalidades do grupo I, em ambientes externos e treinamentos das equipes de competição a nível nacional, para todos os grupos, quando autorizadas pela Fesporte.
    • Esporte de participação e lazer
      • Competição: proibidas as modalidades de todos os grupos;
      • Prática: permitidas as modalidades dos grupos I, II, III e IV, em ambiente aberto. Já em ambiente fechado, deve respeitar a capacidade operativa de 25% da capacidade total do estabelecimento.
    • Esporte educacional 
      • Competição: proibidas as modalidades de todos os grupos, exceto as realizadas ou autorizadas pela Fesporte.
      • Treinamento: permitidas as modalidades do grupo I, II,III e IV em ambientes externos e permitidas as modalidades de todos os grupos em ambientes interno, mas respeitando o limite de 25 % da capacidade total.

Risco grave 

    • Esporte de rendimento
      • Competição: permitidas as modalidades do grupo I ambientes externos e proibidas as modalidades do grupo I em ambiente fechado. Já as modalidades dos grupos II, III e IV, exceto equipes de competição a nível nacional, quando autorizadas pela Fesporte;
      • Treinamento: permitidas as modalidades dos grupos I, II, III e  IV. O treinamento das modalidades do grupo II deve ser realizado de forma individualizada em treinos técnicos sem contato físico entre os participantes.
    • Esporte de participação e lazer
      • Competição: permitidas as modalidades do grupo I e proibida as modalidades do grupo I e grupos II, III e IV;
      • Prática: permitidas as modalidades do grupo I, II, III e IV em ambientes externos e permitidas as modalidades do grupo I, II, III e IV em ambientes internos com limite de 50% da capacidade operativa do estabelecimento.
    • Esporte educacional
      • Competição: proibidas as modalidades de todos os grupos, exceto as realizadas ou autorizadas pela Fesporte
      • Treinamento: permitidas as modalidades do grupo I, II, III e IV em ambientes externos e permitidas as modalidades de todos os grupos em ambientes internos com limite de 50% da capacidade operativa do ambiente de ensino.

Risco alto e moderado

    • Esporte de rendimento
      • Competição: permitidas as modalidades dos grupos I, II, III e IV  em ambientes externos e internos para esportes de rendimento, esportes de participação e lazer tanto para competição quanto para treinamento. No esporte educacional somente fica liberada a competição no Risco Moderado.
+

Saúde