Crianças com autismo criam animações que mostram suas visões de mundo

Programa ‘De criança para criança’ traz desenhos desenvolvidos pelos pequenos que se transformaram em conteúdo audiovisual e abordam temas do dia a dia 

O programa “De Criança para Criança” (DCPC) possibilita que crianças com autismo, baixa visão ou passando por algum tratamento de saúde, escrevam, desenhem e gravem suas histórias. Os episódios são disponibilizados no YouTube e auxiliam crianças autistas a expressarem os seus sentimentos, explica Gilberto Barroso, cofundador do projeto.

Através de uma plataforma, os professores são orientados a serem mediadores, fazendo com que os próprios alunos desenvolvam conhecimento sobre temáticas diversas. A partir de discussões, constroem coletivamente histórias, fazem desenhos e gravam locuções relativas às narrativas criadas. Após as discussões a conversa é transformada em animações feitas pelo DCPC, expandindo os horizontes educacionais.

Crianças autistas se expressam através de animações no Youtube. – Foto: Reprodução/Youtube/NDCrianças autistas se expressam através de animações no Youtube. – Foto: Reprodução/Youtube/ND

Uma das histórias é contada no episódio “Emoções no Autismo”, feito por Luis, um menino com o espectro autista. O vídeo mostra como ele se sente em relação ao mundo, já que muitas vezes não consegue expressar seus sentimentos.

O criador do episódio possui um irmão, Pedro, com um grau maior de autismo. Em sua homenagem, desenvolveu o “Meu Irmão Autista”. A animação conta a história dos irmãos. “Ter um irmão com autismo cria dificuldades para toda família, mas cria situações positivas também. Uma característica do Pedro é que ele gosta de passar o tempo fazendo alguns barulhos”, contou o irmão. Segundo o episódio, um dia eles estavam em uma grande fila e após seu irmão fazer barulhos foram deslocados para outra fila muito menor pois entenderam que ele tinha autismo.

Em abril é realizada a campanha de conscientização sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em janeiro deste ano, revelam que o número de matrículas da educação especial chegou a 1,3 milhão em 2021, um aumento de 26,7% em relação a 2017. A maior quantidade está no ensino fundamental, que concentra 68,7%.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Diversa+ na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...