Criciúma chega a 500 mortes por Covid-19

Região Carbonífera registra mais de 900 óbitos até o momento pela doença

Criciúma alcançou uma marca triste nesta quarta-feira (2), a cidade chegou ao número de 500 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia do coronavírus. Só no mês de maio foram registrados 63 óbitos pela doença na cidade. Em junho de 2020 esse número era de 10 óbitos, sendo assim, no período de um ano foram registradas 490 mortes na cidade.

Segundo boletim do Governo do Estado, a faixa etária com mais registros de óbito em Criciúma é de 60 a 79 com 255 mortes. Criciúma é o sétimo município do estado com maior número de mortos e o quinto no estado quanto ao número total de pessoas infectadas durante a pandemia com 33.623 pessoas até o momento.

Atualmente, Criciúma possuí 831 casos ativos de Covid-19 – Foto: Decom/NDAtualmente, Criciúma possuí 831 casos ativos de Covid-19 – Foto: Decom/ND

De acordo com o boletim epidemiológico da Prefeitura de Criciúma, a cidade apresenta ainda 831 casos ativos de Covid-19, sendo que 195 pessoas encontram-se internadas nos hospitais da cidade. Destas 121 são residentes em Criciúma e 74 são de outros municípios.

Região Carbonífera com mais de 900 mortes

Até o momento, a Região Carbonífera registra 982 mortes pela doença nos 12 municípios que compõem a AMREC (Associação dos Municípios da Região Carbonífera).

Criciúma por ser a maior cidade registra a maioria dos óbitos. Já Içara é a segunda cidade com o maior número de mortes por Covid-19, com 97 registros até o momento. Orleans é o terceiro município, com 66 óbitos registrados.

Região Sul com 99% das UTIs ocupadas

Outro dado que preocupa é a alta taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) para Covid-19. Segundo o Governo do Estado a taxa de ocupação é de 99,19% no Sul do Estado. Dos 129 leitos disponíveis de Tubarão a Araranguá, 126 estão ocupados.

Na Região Carbonífera, esse número é de 100% de ocupação. Segundo boletim epidemiológico da Prefeitura de Criciúma, 60 pessoas estão internadas em UTI na cidade. Destas 44 são de Criciúma e 16 de outros municípios. Pelo SUS, são 35 leitos ofertados no Hospital São José e 10 no Hospital de Retaguarda do Rio Maina, todos ocupados.

+

Saúde