“Daria tudo para salvá-la”, diz marido da primeira vítima de Covid-19 em Blumenau

- +
Na semana que a cidade alcançou a marca de 300 óbitos por coronavírus, o ND+ conversou com Jaison Salm, que perdeu a esposa, Vanessa, ainda no início da pandemia

Há pouco mais de dez meses, no dia 5 de maio de 2020, Blumenau perdia a primeira vida na guerra contra o coronavírus. Nesta terça-feira (9), a cidade já soma 301 mortes por conta da Covid-19.

A vítima foi a técnica em enfermagem Vanessa Neuber Salm, de 34 anos. Ela deixou três filhos, um de 18 anos e gêmeos de sete, além do marido Jaison Salm, de 41 anos. Ele lembra com carinho da esposa. “Ela era uma pessoa batalhadora, corajosa e que gostava muito de ajudar os outros”, conta o homem.

O casal se conheceu durante uma Oktoberfest. O romance evoluiu até que começaram a namorar e se casaram.

Jaison e Vanessa se conheceram em uma Oktoberfest – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV BlumenauJaison e Vanessa se conheceram em uma Oktoberfest – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV Blumenau

Durante a carreira, Vanessa atuou como técnica de enfermagem em diversos hospitais de Blumenau. Antes de contrair o coronavírus ela trabalhava na unidade do Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas).

Sempre sorridente, era do tipo de pessoa que gostava do que fazia, que gostava de ajudar o próximo. “Ela sempre arrecadava roupas para doar às pessoa em situação de vulnerabilidade”, conta o marido.

Momentos difíceis

Jaison conta que passou momentos difíceis durante os 29 dias em que Vanessa esteve internada com Covid-19. Na época a doença ainda era pouco conhecida.

Um dia antes da morte da esposa, Jaison foi chamado pela equipe médica do hospital e foi informado que a situação de Vanessa era irreversível. Foi orientado para pedir às crianças que escrevessem uma cartinha que seria lida à mãe, mesmo inconsciente.

Seguindo em frente

Superar a dor do luto nunca é fácil. Jaison conta que ainda busca cicatrizar o ferimento que o coronavírus deixou em sua vida. “No começo é complicado, tudo te faz lembrar. As crianças também sentiam, então eu precisava explicar, mas ao mesmo tempo estava meio frágil… É bem complicado”.

O homem conta que levou cerca de cinco meses para assimilar a perda, mas que aos poucos vai apreendendo a seguir em frente. Ele diz ainda que a ajuda dos pais é fundamental. Ele é filho do ex-vereador Vânio Salm, que tem sido um dos apoios.

Jaison e os gêmeos recordam momentos com Vanessa – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV BlumenauJaison e os gêmeos recordam momentos com Vanessa – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV Blumenau

Vacina

Jaison também falou sobre a chegada da vacina na cidade. Ele conta que sentiu uma mistura de alegria e tristeza, uma vez que o imunizante poderia salvar Vanessa. Ele disse ainda ser favorável a vacinação e criticou aqueles que se posicionam contra a imunização.

“Hoje em dia as coisas estão invertidas, as pessoas acham que armas salvam e vacina mata, não entendo isso. Imagina o que eu não daria para ter essa vacina. Acho que eu vendia minha casa, meu carro, fazia todo financiamento possível para ter essa vacina e salvar ela. Mas hoje em dia as pessoas não querem tomar por causa de teorias”, desabafa.

“Vendia minha casa pra ter essa vacina”, diz marido da primeira vítima de Covid-19 em Blumenau – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV Blumenau“Vendia minha casa pra ter essa vacina”, diz marido da primeira vítima de Covid-19 em Blumenau – Foto: Alexandre de Oliveira / NDTV Blumenau