Dia Nacional do Doador de Sangue: Um ato de solidariedade pode salvar vidas

Qualirede defende a importância da doação de sangue, ainda que em meio à pandemia, para que seja possível aumentar o estoque dos Hemocentros

Hora de doar sangue para garantir estoques nos Hemocentros – Foto: DivulgaçãoHora de doar sangue para garantir estoques nos Hemocentros – Foto: Divulgação

O Dia Nacional do Doador de Sangue está entre os temas importantes do mês de novembro.  Designada em 2005, e comemorada no dia 25 de novembro, a data lembra que doar sangue é sinônimo de salvar vidas, e que os Centros de Hematologia e Hemoterapia precisam cada vez mais do apoio da população.

A data serve para conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre a importância do ato regular da doação de sangue, além de agradecer aos que já são doadores voluntários.

Com o isolamento social, as dificuldades em manter o estoque de sangue, consequentemente, aumentaram. A Qualirede, líder em gestão de saúde para entidades públicas, defende a importância da conscientização sobre a doação de sangue para salvar vidas e promover a saúde daqueles que necessitam, inclusive em meio à pandemia.

“Durante a pandemia, o ato de doar sangue pode acabar ficando em último plano. Mas é importante conscientizar a população de que a vida de muitos pacientes em situação de risco depende desse ato de solidariedade. Além disso, os Centros de Hematologia e Hemoterapia estão mantendo todos os cuidados necessários contra o coronavírus, para garantir a doação segura do voluntário”, afirma a Diretora de Operações da Qualirede e médica, Carla Biagioni Martins.

Por que devo doar?

Diariamente as pessoas sofrem acidentes, são internadas por diferentes doenças e se submetem a cirurgias eletivas de grande porte, necessitando de transfusões sanguíneas. A diretora da Qualirede explica que o baixo estoque de sangue influencia nos procedimentos médicos realizados, podendo haver suspensão de cirurgias e transplantes.

“O sangue é fundamental para pacientes que estão em condições de risco de morte, e o estoque só aumentará com a doação voluntária, por isso ela é tão valiosa e depende da solidariedade das pessoas. A falta de estoque afeta inclusive na qualidade do atendimento de pacientes com distúrbios hematológicos, crônicos e agudos”, alerta a Dra. Carla.

Todo sangue doado é separado em diferentes componentes, como hemácias, plaquetas e plasma, o que significa que uma doação pode beneficiar mais de um paciente.

Quem pode doar sangue?

  • Pessoas com peso – de no mínimo – 50 quilos;
  • Ter entre 18 e 69 anos. Também podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal.

Quem não pode doar sangue?

  • Quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade;
  • Mulheres grávidas ou amamentando;
  • Pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue, como aids, hepatite, sífilis e doença de chagas;
  • Usuários de drogas injetáveis;
  • Pessoas que se submeteram a tatuagem, micropigmentação, maquiagem definitiva ou piercing ficam inaptas por seis meses;
  • Pessoas que não estejam em perfeitas condições de saúde;

Os candidatos passam por uma triagem clínica antes da doação para serem avaliadas suas condições.

A doação de sangue é segura?

Todo o procedimento de doação de sangue é muito seguro e os doadores não correm nenhum risco de contaminação, o material é individual e descartável. A quantidade de sangue retirada também não afeta a saúde do doador, porque a recuperação é imediata após a doação. Uma pessoa adulta possui em média cinco litros de sangue, na doação são coletados no máximo 450ml.

Doação em tempos de coronavírus

  • Pessoas que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de países com casos confirmados de infecções pelo coronavírus, ficam inaptas para a doação por 14 dias após o retorno destes países;
  • Pessoas que foram infectadas pelos vírus após diagnóstico clínico ou laboratorial, ficam inaptas por um período de 30 dias após a completa recuperação;
  • Pessoas que tiveram contato nos últimos 30 dias com quem apresentou diagnóstico clínico ou laboratorial de infecções pelo vírus, ficam inaptas pelo período de 14 dias após o último contato com essas pessoas;
  • Pessoas que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção pelo coronavírus, ficam inaptas pelo período que durar o isolamento (no mínimo 14 dias) se estiverem assintomáticos.

Onde doar?

Confira a lista de Hemocentros em todo o Brasil (http://redome.inca.gov.br/campanhas/hemocentros-do-brasil/), vá até o Hemocentro mais próximo e ajude a salvar vidas!

Doar sangue é doar amor

A doação de sangue é uma das diversas formas de doar amor e ajudar outras pessoas. “O número de não doadores ainda é maior do que o de doadores voluntários, mas é possível transformar este cenário com iniciativas de conscientização. Doar sangue é um ato de amor e solidariedade ao próximo, é dedicar um curto espaço de tempo para salvar a vida de uma pessoa que sequer conhecemos”, conclui a diretora da Qualirede.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo

+

Saúde é tudo