Dois a cada três leitos de UTI estão ocupados em Santa Catarina

Nenhum município que oferta leitos está em superlotação, mas índice geral de SC está subindo há semanas e quatro unidades estão com todas as UTIs ocupadas

Dados do boletim epidemiológico desta segunda-feira (9) apontam um índice de ocupação de 66,6% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na rede pública do Estado de Santa Catarina. Ou seja, são 953 ocupados de um total de 1.430.

Unidade está com todos os leitos lotados, mas a cidade de Joinville ainda possui leitos vagos em outros hospitais – Foto: Divulgação/NDUnidade está com todos os leitos lotados, mas a cidade de Joinville ainda possui leitos vagos em outros hospitais – Foto: Divulgação/ND

A maioria, 656, por pacientes com outras enfermidades, enquanto 297 são de pacientes com confirmação ou suspeita de infecção pelo novo coronavírus.

Nesse contexto, apesar de serem 477 leitos livres, quatro unidades estão com todos os seus leitos lotados:

  • Hospital Bethesda, em Joinville
  • Hospital Regional Helmuth Nass, em Biguaçu
  • Materno Infantil de Santa Catarina, em Criciúma
  • Maternidade Darcy Vargas, em Joinville

O primeiro hospital, o Bethesda, é o único que possui pacientes da Covid-19. A unidade oferta oito leitos atualmente, com cada um deles sendo ocupado por um paciente do vírus.

Segundo o Secretário da Saúde do município, Jean Rodrigues, há influência da mudança feita com relação às cirurgias eletivas, retomadas na transição de outubro para novembro.

“Eram 600 pacientes aguardando desde abril, agora o Bethesda mantém 8 leitos ativos por causa das cirurgias eletivas, anteriormente eram 18 leitos ofertados”, afirma o secretário.

Porém, a unidade funciona como “retaguarda” na logística municipal, pois outros quatro hospitais também ofertam leitos que estão disponíveis atualmente, relata Rodrigues. Assim, não há previsão de mudanças nas políticas municipais, pois as internações em UTI não cresceram acima do planejado.

Segundo o chefe da pasta de saúde, somente em caso de novas superlotações pode ocorrer uma revisão nos decretos. A cidade do Norte catarinense ainda é a que mais acumula casos confirmados, com 25.309 desde o início da pandemia, mas figura em laranja no mapa de risco do Estado.

A cor representa o risco potencial grave, o segundo mais crítico da escala. Enquanto isso, Florianópolis volta a apresentar novas dificuldades. Também nesta segunda (9), Florianópolis teve o quarto dia seguido com as UTIs apresentando lotação acima de 90%.

O entorno da capital já é considerado o epicentro do vírus no Estado por alguns especialistas, com o contexto de novas altas diárias, considerando que os últimos boletins epidemiológicos de Santa Catarina tiveram mais de duas mil confirmações diárias com frequência.

Isso, também para especialistas da saúde, pode configurar uma nova onda da Covid-19 em solo catarinense, reflexo de medidas de flexibilização que ainda vigoram.

Atualmente, são 275.655 confirmações em Santa Catarina desde o início da pandemia, com 1.034 novos casos confirmados no boletim desta segunda (9). A taxa de recuperados está em 94%, mais de 260 mil pacientes, sofrendo retração nas últimas semanas.

Joinville e Florianópolis encabeçam a lista de confirmações de casos, com 25,3 mil e 23,1 mil, respectivamente, e somadas possuem 17,5% do total de casos do Estado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...