Dor, revolta e orgulho marcam primeiro mês de Déa Lúcia sem Paulo Gustavo

Mãe do ator recorreu à religião para manter as forças e aguentar perda do filho, que morreu com Covid-19

“Filho não deveria ir embora antes da mãe. Nunca!”, lamentou Déa Lúcia, durante a missa de sétima dia da morte do filho Paulo Gustavo. O humorista, consagrado principalmente pela sua personagem Dona Hermínia, inspirada em Lúcia, morreu cinco dias antes do Dia das Mães.

Paulo Gustavo e Déa Lúcia no aniversário de 41 anos de Paulo Gustavo, comemorado em 2018 – Foto: Reprodução/Redes SociaisPaulo Gustavo e Déa Lúcia no aniversário de 41 anos de Paulo Gustavo, comemorado em 2018 – Foto: Reprodução/Redes Sociais

A morte de Paulo Gustavo completa um mês nesta sexta-feira (4). Ele foi vítima da Covid-19, após dois meses de internação lutando contra o vírus. O ator estava intubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Durante esse primeiro mês de luto, as poucas aparições da mãe do ator em entrevistas e por meio de publicações em redes sociais demonstraram a força que fez a fama de Dona Hermínia, personagem que Paulo Gustavo criou em sua homenagem. Força essa que ela atribui a Deus.

“Eu não sou forte, a minha força está em deus. Peço todos os dias, ‘me ajuda! Eu creio e aceito a partida do meu filho’. É a fé que me ajuda!”, ressaltou. Na missa ela cantou a música “Fascinação”, traduzida para o português por Carlos Galhardo e famosa na voz de Elis Regina.

Partida

Após 54 dias de sofrimento com a internação, Déa Lúcia foi chamada ao hospital no dia 4 de maio após ser confirmada a morte cerebral do filho. Momento esse que a situação de Paulo Gustavo passou a ser considerada irreversível.

Como contou a mãe, a família ficou ao redor da cama de Paulo Gustavo. Eles cantaram a oração de São Francisco, que o ator e comediante gostava de ouvir quando criança. Durante a canção, os batimentos cardíacos foram diminuindo gradativamente.

Em último áudio enviado por celular aos amigos naquele dia, ela agradeceu por todas as orações. “Estamos aqui no quarto até apagar a última luz e fechar a cortina. Rezem para Deus acolher a alma dele”, pediu.

Revolta e orgulho

Déa Lúcia sempre manifesta um orgulho incondicional do filho. Ela celebrou pelo Instagram quando Paulo Gustavo foi homenageado com uma placa em Niterói. “Meu filho deixou exemplo contra o preconceito. Formou família e foi amado”.

Para além da dor, também manifesta uma revolta profunda contra a pandemia, principalmente contra os casos de corrupção. “Eu vou lutar contra os roubos na pandemia. Isso é assassinato”, ressaltou a mãe durante entrevista. Revolta que também é compartilhada pela irmã.

No dia 19 de maio, dia das mães, ela foi homenageada por uma séries de famosos – Luciano Huck, Ingrid Guimarães, Cacau Protássio, Maria Ribeiro, Caroline Dieckmann.

Em uma mensagem dedicada aos fãs, na missa de despedida, Déa disse: “Ele se curou, foi embora. Se curou totalmente e está lá em cima, orando por nós. E me coloco de joelhos por todas as mães que perderam seus filhos para essa maldita doença”.

+

Saúde