Efetivo é reforçado após suspensão de visitas nas cadeias de Santa Catarina

Portaria suspendendo férias de agentes foi publicada no dia seguinte ao decreto de emergência por coronavírus

A Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa reforçou a segurança policial e revogou as férias dos agentes prisionais que atuam nas cadeias de Santa Catarina.

A portaria foi publicada na quarta-feira (18), logo após o governo do Estado anunciar situação de emergência por causa do coronavírus. O decreto estadual divulgado na terça-feira (17) já havia determinado a suspensão das visitas nas unidades prisionais.

Penitenciária de Florianópolis – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/NDPenitenciária de Florianópolis – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Por meio da portaria, a secretaria também suspendeu a atividade laboral feita por reeducandos do sistema prisional. A ordem vigora por prazo inicial de sete dias, podendo ser prorrogada em caso de necessidade.

Na publicação do Diário Oficial do Estado, o governo ordenou estado de prontidão aos agentes penitenciários e servidores da segurança socioeducativa que trabalham na sede da secretaria.

Os funcionários devem comparecer ao trabalho munidos de todo equipamento operacional. Se houver necessidade, eles vão “prestar eventual apoio às unidades prisionais”.

Todas as determinações acompanham o decreto do governador Carlos Moisés (PSL), que declarou estado de emergência em Santa Catarina na terça-feira (17). As ordens são assinadas pelo secretário Leandro Lima. 

O início do Curso de Formação Profissional e a última etapa do Concurso Público para agentes penitenciários foram suspensos. As visitas íntimas dentro das 59 unidades de segurança também estão canceladas. 

Em entrevista coletiva na última quarta-feira (18), Lima afirmou que as medida são preventivas e buscam proteger detentos e servidores do sistema no Estado.

“Desta forma, colaboramos para que se evitasse vias de contato, não só dos apenados, mas de quem trabalha no local. É um cenário nunca visto antes”, destacou. 

Leia também:

Em três dias, dez presos fogem do sistema 

Após as medidas, dez detentos do sistema prisional fugiram. Na noite de quarta-feira (18), três homens que cumpriam pena na Colônia Penal Agrícola de Palhoça, na Grande Florianópolis, fugiram. 

Para escapar do local, o trio abriu um buraco na parede do banheiro da unidade prisional e se embrenhou pela mata. Eles usaram uma família como refém ao longo caminho

Na madrugada desta sexta-feira (20), outros sete detentos escaparam da mesma unidade. O Deap (Departamento de Administração Prisional) informou que as ocorrências não possuem relação. Por meio de nota, o órgão informou ainda que todas as unidades do Estado “operam dentro da normalidade”.

Rebeliões em São Paulo 

As restrições de visitas e a suspensão do benefício da saída temporária em São Paulo por conta do coronavírus resultaram em rebeliões em pelo menos quatro cadeias paulistas. Mais de 1,3 mil presos fugiram e 724 foram recapturados.

+

Saúde