Em apenas 4 horas, UPA de São José consome oxigênio previsto para 12 dias

Para secretária municipal de Saúde, aumento de casos da Covid-19 fez crescer o número de atendimentos nas UPAs

A situação crítica da Covid-19 tem afetado de forma grave o sistema de saúde dos municípios.

No último domingo (21), a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24h de Forquilhinhas, em São José, na Grande Florianópolis, consumiu, em apenas quatro horas, o oxigênio disponível para 12 dias.

UPA Forquilhinhas, em São José, consumiu oxigênio além da demanda esperada – Foto: Divulgação Secom/PMSJUPA Forquilhinhas, em São José, consumiu oxigênio além da demanda esperada – Foto: Divulgação Secom/PMSJ

O reabastecimento de oxigênio na unidade, portanto, teve que ser feito antes do previsto. Nesta segunda-feira (22), 16 novos cilindros foram entregues na UPA Forquilinhas.

De acordo com a secretária municipal de Saúde de São José, Sinara Regina Simioni, o aumento de casos da Covid-19 fez crescer os atendimentos na UPA.

Segundo ela, muitos pacientes já chegam à unidade de saúde necessitando do uso de oxigênio. Isso faz com que a demanda pelo insumo seja cada vez maior.

Contudo, a Saúde municipal reforça que o reabastecimento de oxigênio está mantido e que a capacidade da rede de gases medicinais foi dobrada.

“Temos todos os insumos necessários. Estamos preparados para atender a população, mas há uma limitação, não vamos dar conta de tudo”, alertou Sinara.

Demora na transferência de pacientes

A secretária informou que houve casos em que pacientes tiveram que aguardar até 16 horas para serem transferidos pela falta de leitos disponíveis nos hospitais da Grande Florianópolis.

Nesta segunda-feira (22), foi feita a transferência de sete pacientes que ocupavam leitos de observação com suporte de oxigênio em cateter. Um paciente que estava entubado foi transferido para outra unidade também na segunda à noite.

Até o momento, há quatro pacientes na unidade que necessitam do uso de oxigênio. A transferência de pacientes possibilitou ampliar o atendimento na UPA, que estava sobrecarregado.

Situação crítica

A secretária municipal de Saúde de São José faz um alerta à população sobre o quadro crítico da Covid-19.

“A situação está muito difícil. As portas da saúde estão pressionadas, não só pela Covid-19, mas por outras situações, como traumatologia. Os hospitais estão sobrecarregados. É caótico”, disse.

Com relação à possibilidade de adotar novas restrições para combater o contágio pelo novo coronavírus, Simioni afirmou que vai aguardar o plano de ação que deve ser apresentado pelo governo estadual.

Na tarde desta terça-feira (23), o governador Carlos Moisés da Silva se reúne com prefeitos das maiores cidades do Estado e outras entidades para tratar do avanço da Covid-19 no Estado.

A secretária de saúde de São José disse que somente após essa reunião é que se poderá discutir sobre novas medidas nas cidades da Grande Florianópolis.

Além disso, ela reforça que, para que as ações sejam bem sucedidas, é preciso que sejam elaboradas em conjunto entre os municípios da região.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde