Entenda a Síndrome Multissistêmica Inflamatória, doença associada à Covid-19 em crianças

Entre os principais sintomas estão febre, dores no corpo e erupções na pele; Brasil já registra casos da doença

Uma síndrome inflamatória associada à Covid-19 em crianças e adolescentes tem preocupado entidades médicas ao redor do mundo. Essa doença seria uma resposta tardia desproporcional do sistema imunológico ao vírus.

Entenda a Síndrome Multissistêmica Inflamatória, doença associada à Covid em crianças – Foto: Divulgação/ND

Em maio, a Sociedade Brasileira de Pediatria emitiu uma nota de alerta sobre o caso. O texto esclarece que apesar de as crianças apresentarem preferencialmente formas assintomáticas, leves ou moderadas da Covid-19, elas podem sim desenvolver “manifestações clínicas exuberantes e graves”.

A Síndrome Multissistêmica Inflamatória é pouco comum e acomete principalmente os vasos sanguíneos. Ela provoca uma resposta exacerbada ao vírus o que pode resultar em inflamação em órgão como rins e pulmões.

Sintomas cardíacos também estão associados à síndrome. O artigo “Acute Heart Failure in Multisystem Inflammatory Syndrome in Children in the Context of Global SARS-CoV-2 Pandemic” [Insuficiência Cardíaca Aguda na Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças no Contexto da Pandemia Global de SARS-CoV-2, em livre tradução], publicado na revista Circulation, descreve os casos.

Segundo a publicação, ao atingir os vasos e artérias sanguíneas, a síndrome pode provocar redução na pressão sanguínea. Tal fator leva o coração a redobrar os esforços para manter a estabilidade do corpo, o que pode provocar arritmias.

Casos notificados pelo mundo

Os primeiros casos notificados da síndrome foram registrados no Reino Unido em abril. Oito pacientes com idades entre 4 e 17 anos apresentaram febre alta, conjuntivite, erupções na pele, edema nas mãos e nos pés, dor abdominal, vômitos e diarreia. Quatro delas tinham histórico de infectados pela Covid-19 na família. Um dos pacientes morreu após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Espanha, Itália, França e Estados Unidos também identificaram a ocorrência de casos de síndrome inflamatória multissistêmica em crianças e adolescentes, provavelmente associados à Covid-19.

Nos Estados Unidos, até 17 de maio, 100 crianças e adolescentes foram hospitalizados com sintomas associados aos da síndrome. 90% delas apresentavam anticorpos contra o novo coronavírus.

No Brasil, o registro mais recente vem do Ceará. No Estado, pelo menos 16 crianças são monitoradas após apresentarem sintomas da síndrome.

A reportagem do nd+ questionou a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina sobre a notificação de casos no Estado. Contudo, até as 15h, não houve retorno.

+

Saúde