Entrevista: Cardíacos precisam manter tratamentos e ter ainda mais atenção na pandemia

As cardiopatias já estavam em primeiro lugar em mortes no mundo, antes da Covid-19. Com agravamento da crise, Dr. Leopoldo Moratelli Neto orienta sobre cuidados com os pacientes

Em pouco mais de um ano do surgimento do novo coronavírus, profissionais da saúde seguem a busca diária de soluções em suas especialidades para ajudar os pacientes infectados pela Covid-19 com comorbidades.

Uma delas se refere aos cardiologistas. Segundo a Opas – Organização Pan-americana de Saúde, antes mesmo da pandemia, a cardiopatia isquêmica estava em primeiro lugar entre os maiores causadores de mortes no mundo, nas últimas décadas.

Cardiologistas aconselham a manter cuidados com agravamento da pandemia – Foto: DivulgaçãoCardiologistas aconselham a manter cuidados com agravamento da pandemia – Foto: Divulgação

Nesta entrevista, quem fala a respeito da realidade que se vive na pior fase da pandemia, relacionada às doenças cardíacas, é o médico cirurgião cardiovascular, Dr. Leopoldo Moratelli Neto. Ele dá orientações aos pacientes cardíacos e seus familiares sobre formas de enfrentar este difícil momento na saúde e relata rotinas em que ele e seu irmão, Lindolfo Moratelli Filho, da mesma especialidade, têm mantido em meio a esta situação.

“Pacientes cardíacos não deveriam, de forma alguma, deixar de buscar atendimento médico.”

 ENTREVISTA – Dr. Leopoldo Moratelli Neto


Dr. Leopoldo Moratelli Neto, cirurgião cardiovascular – Foto: Heitor PergherDr. Leopoldo Moratelli Neto, cirurgião cardiovascular – Foto: Heitor Pergher

Saúde Mais: Como vocês, cardiologistas, têm tentado amenizar a dificuldade dos pacientes com problemas cardíacos diante do sistema de saúde sobrecarregado em função da pandemia?

Dr. Leopoldo: Todos os profissionais de saúde têm passado por esta dificuldade, e na cirurgia cardíaca em geral não é diferente. Estamos num momento em que não há como mantermos cirurgias eletivas, já que a sobrecarga nos leitos de UTI extrapolou qualquer estimativa.

Entendemos a mortalidade do Covid-19 e também sabemos das estatísticas das doenças que mais matam no mundo: as doenças cardiovasculares. Nessa situação, os hospitais mantêm seus atendimentos para quadros agudos de doenças cardíacas como infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva descompensada, quadros de arritmias cardíacas graves e quadros de coração lento que necessitem de marcapasso.

Quadros brandos, e quando possível, fazemos nossas consultas domiciliares, por videochamadas e orientações via aplicativos de conversas como Whatsapp.

Hoje, pacientes recebem tratamento remoto com facilidade – Foto: DivulgaçãoHoje, pacientes recebem tratamento remoto com facilidade – Foto: Divulgação

“Hoje, possuímos a possibilidade de consulta remota, que ajuda muito nas orientações e tratamento.”

Saúde Mais: O que vocês diriam aos pacientes cardíacos neste momento de dificuldades de encontrar atendimento?

Dr. Leopoldo: Não deveriam de forma alguma deixar de buscar atendimento médico. Os hospitais da Grande Florianópolis, apesar da situação atual, mantêm sim, o atendimento de quadros graves que levam risco de óbito e inclusive para os procedimentos Tempo-sensíveis também se tem feito esforço para não prejudicar o tratamento. Dessa forma, o paciente deve também buscar consultas com seu médico de confiança, que o mesmo saberá como orientar.

Saúde Mais: Sabemos que a pandemia afeta a todos. Mas especificamente, quanto aos cardíacos, qual a maior preocupação de vocês?

Dr. Leopoldo: Os pacientes com doenças cardíacas possuem, normalmente, comorbidades associadas, ou seja, outras doenças que são fatores de risco cardíaco, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, muitos obesos e sedentários e até fumantes. Esse conjunto associado à própria doença cardíaca aumenta muito o risco de desenvolver o quadro mais grave do Covid-19, necessitando de atendimento intensivo, e com resultado em mortalidade muito maior, já que instabilizariam o quadro de base da doença cardíaca, renal e pulmonar.

Saúde Mais: Que dicas vocês dariam aos pacientes cardíacos que estão aguardando atendimento e a vacina, isolados em casa?

Dr. Leopoldo: Primeiro, manter hábitos saudáveis como alimentação balanceada, frutas e verduras, ingestão de líquidos de forma adequada, conforme orientação de seu médico. Devem manter contato sim com seu cardiologista ou cirurgião cardiovascular de confiança, já que hoje possuímos a possibilidade de consulta remota que ajuda muito nas orientações e tratamento.

Lembrar que os procedimentos cirúrgicos eletivos estão cancelados no momento, mas àqueles considerados Tempo-sensíveis serão sim, agendados e realizados. E com toda certeza, se programarem para receber a vacina.

Mantenham contato virtual com seus familiares que ainda não foram vacinados

Saúde Mais: O que o senhor diria aos familiares de pacientes cardíacos?

Dr. Leopoldo: Mantenham contato virtual com seus familiares que ainda não foram vacinados. Mesmo que de longe, a conversa, entender como estão, suas angústias e dúvidas devem fazer parte da preocupação de toda família. deixar claro que se houver necessidade haverá equipe pronta para atendê-los. E que a qualquer novo sintoma, seus familiares devem ficar sabendo.

Familiares devem ficar ainda mais atentos aos pacientes cardíacos – Foto: DivulgaçãoFamiliares devem ficar ainda mais atentos aos pacientes cardíacos – Foto: Divulgação

Saúde Mais: Vocês têm ido até os pacientes para atendê-los em casa?

Dr. Leopoldo: Sim, seja em visita domiciliar agendada ou de forma emergencial, os serviços de atendimento domiciliar são muito importantes nessa fase! A Pró Cuore realiza este serviço de Atendimento domiciliar e videochamadas.

 Saúde Mais: Mais alguma orientação para este momento?

Dr. Leopoldo: Apesar de toda mudança que a população e profissionais de saúde estão presenciando, ainda devemos ficar cientes de que as doenças cardiovasculares são muito graves e de maior mortalidade. Dessa forma fique atento à mudança de sintomas mantenham os hábitos de vida saudáveis e tenham pacientes e familiares uma via de contato com seu médico de confiança. Ele muitas vezes resolverá a maioria das situações e saberá de forma correta onde você deve buscar atendimento caso necessite.

“Ainda devemos ficar cientes de que as doenças cardiovasculares são muito graves e de maior mortalidade.”

A Pró Cuore

A Pró Cuore é uma clínica idealizada pelos irmãos Leopoldo Moratelli Neto e Lindolfo Moratelli Filho, médicos cirurgiões cardiovasculares que trabalham nos maiores hospitais, públicos e privados, na região da Grande Florianópolis.

Eles formam a equipe com o Dr. Lourival Bonatelli Filho, também médico cirurgião cardiovascular, com experiência de mais de 10 mil cirurgias cardíacas e marcapassos, sendo pioneiro nas cirurgias de implante de marcapassos, ressincronizadores e cardiodesfibriladores no Instituto de Cardiologia de Santa Catarina.

PRÓ CUORE

  • Agendamentos:
  • (48) 3222-0738
  • WhatsApp: (48) 9 8416-2325
  • atendimentoprocuore@gmail.com
  • Rua Padre Roma, 482 – Sala 608 – Centro, Florianópolis – SC, 88010-090

Instagram

Facebook

+

Saúde Mais

Loading...