Entrevista: os avanços da oncologia e caminhos para um melhor tratamento do câncer

Especialista Ricardo Branco explica em entrevista ao Saúde Mais sobre estudos do câncer, e por que hoje a oncologia geral é algo praticamente impossível

Estudos científicos aumentam ‘arsenal terapêutico’ para exames e tratamentos – Foto: Divulgação/Noova OncologiaEstudos científicos aumentam ‘arsenal terapêutico’ para exames e tratamentos – Foto: Divulgação/Noova Oncologia

Pessoas que estão passando pelos processos de diagnóstico ou tratamento do câncer precisam encontrar a orientação correta para os cuidados, e hoje, a oncologia tem maior ‘arsenal terapêutico’ para os exames e tratamentos, devido a aumento do volume de estudos científicos na área. Veja entrevista com o médico Ricardo Branco, especialista em oncologia clínica em Florianópolis.

ENTREVISTA – Dr. Ricardo Branco, oncologista clínico


Dr. Ricardo Branco esclarece sobre evolução de exames e tratamentos – Foto: Lauro Maeda/NDDr. Ricardo Branco esclarece sobre evolução de exames e tratamentos – Foto: Lauro Maeda/ND

A oncologia geral foi predominante em algum momento?

Sim, a oncologia surgiu como uma especialidade que tratava todos os tipos de tumores malignos. Até o início dos anos 2000, o arsenal terapêutico para o combate ao câncer era bastante restrito e a evolução no entendimento dos mecanismos das neoplasias ainda era lenta.

Nas últimas duas décadas, o que vimos foi uma evolução acelerada em pesquisas para entender como tratar de forma mais precisa cada tipo de câncer. Esses estudos levaram à descoberta de uma quantidade enorme de subtipos de tumores e de novas medicações para tratar de maneira mais eficiente cada tipo de câncer.

Por consequência, surgiu a necessidade de que a oncologia se dividisse em áreas de atuação, afim de que o oncologista conseguisse manter-se atualizado em relação aos novos tratamentos que estavam surgindo e fosse acompanhando, assim, a evolução da própria especialidade.

Por que hoje ser um oncologista geral é considerado algo praticamente impossível?

Estudos avançam, e hoje a atualização é diária na oncologia. – Foto: Divulgação Noova OncologiaEstudos avançam, e hoje a atualização é diária na oncologia. – Foto: Divulgação Noova Oncologia

O volume de estudos clínicos e de publicações aumentou muito nos últimos anos, como um reflexo do crescimento do investimento e do avanço das pesquisas em oncologia.

Antes, bastavam algumas horas de estudo por mês para se atualizar sobre todas as áreas. Hoje, a dedicação para o estudo focado em áreas de atuação e subtipos de tumores deve ser diária, para que se consiga acompanhar a atualização do conhecimento.

Quando um estudo é publicado, o ideal é que seja lido assim que disponível, pois pode gerar, por exemplo, uma mudança de tratamento que deve ser implementada de imediato, uma vez que pode ter grande impacto na vida do paciente.

A evolução da oncologia tem mostrado que o câncer é uma doença que requer um manejo especializado e refinado, duas características que contribuem para o sucesso terapêutico e que só são possíveis de serem alcançadas com divisão da oncologia por áreas de atuação.

Quais são as áreas mais importantes da oncologia?

A divisão das áreas de atuação pode variar em partes do mundo, mas no Brasil a mais adotada segue aspectos anatômicos, ou seja, de localização do câncer.

Assim, o mais usual é que o oncologista trate pacientes com tumores gastrintestinais ou tumores de mama e ginecológicos ou tumores geniturinários ou tumores de cabeça e pescoço e pulmão e, por fim, há um grupo de pacientes com tumores raros.

Quais as áreas da oncologia que deveriam avançar no Brasil?

Remédios usados hoje foram experimentais e depois, tornaram-se padrão – Foto: Divulgação Noova OncologiaRemédios usados hoje foram experimentais e depois, tornaram-se padrão – Foto: Divulgação Noova Oncologia

Hoje, temos em nosso país uma necessidade de avanço na área de pesquisa clínica. Essas pesquisas são responsáveis pelo desenvolvimento de novos tratamentos para o câncer.

Todos os remédios usados hoje foram, em algum momento, considerados experimentais e, por terem-se mostrado benéficos, tornaram-se padrão.

Assim, é por meio da pesquisa clínica que muitos medicamentos que algum dia se tornarão de uso rotineiro no combate ao câncer podem ser disponibilizadas de maneira precoce para os pacientes.

Infelizmente, existem poucos centros de pesquisa em nosso país e, consequentemente, poucas pessoas têm o privilégio de participar desses estudos, o que reduz o acesso a novos tratamentos. Daí a importância de serem tratados em centros de oncologia que tenham acesso a novos tratamentos.

Como uma pessoa que busca o tratamento para o seu tipo específico de câncer pode encontrar o oncologista certo?

Para a maioria das pessoas é difícil encontrar o médico mais capacitado – Foto: Divulgação Noova OncologiaPara a maioria das pessoas é difícil encontrar o médico mais capacitado – Foto: Divulgação Noova Oncologia

É muito difícil para uma pessoa que recebe o diagnóstico de um câncer saber quem deve procurar ou quem é o médico mais capacitado para tratá-la. É comum sentir-se sem rumo diante de uma situação que traz tantas incertezas.

Aqui na Noova Oncologia temos essa divisão por áreas e temos médicos capacitados para tratar pacientes com todos os tipos de tumores em todas as áreas de atuação.

Por isso que, independentemente do oncologista com o qual a pessoa agende a consulta, ela será atendida e, se necessário, direcionada para o médico da equipe que tenha maior experiência naquele tipo de câncer que o paciente apresenta,  garantindo, assim, o melhor cuidado.

Noova Oncologia

  • Dr. Ricardo Sebold Branco – Oncologia Clínica (6940) – CRM/SC – 10735
  • Presidente Coutinho, 348 – Centro, Florianópolis
  • Telefones: (48) 3024-5300
  • WhatsApp: (48) 9 9631-5051
  • contato@noovaoncologia.com.br

Confira as redes sociais: InstagramFacebook.⠀⠀⠀⠀⠀

+

Saúde Mais

Loading...