Estado de emergência: Santa Catarina coloca transporte coletivo em quarentena por 7 dias

Entre as medidas para combater o contágio do coronavírus está a restrição da circulação de veículos de transporte urbano intermunicipal e interestadual de passageiros

Novas medidas restritivas para combater o contágio do coronavírus em Santa Catarina foram divulgados, na noite desta terça-feira (17), pelo governador Carlos Moisés (PSL). As empresas do transporte coletivo aguardam as notificações para suspender os serviços. A decretação de estado de emergência também afeta serviços não essenciais e a indústria catarinense.

Antes de anunciar novas medidas restritivas para conter coronavírus, governador do Estado, Carlos Moisés, reuniu colegiado na Defesa Civil – Foto: Osvaldo Sagaz/NDTVAntes de anunciar novas medidas restritivas para conter coronavírus, governador do Estado, Carlos Moisés, reuniu colegiado na Defesa Civil – Foto: Osvaldo Sagaz/NDTV

Entre as atividades suspensas pelo prazo de sete dias, está a circulação de veículos de transporte urbano intermunicipal (entre cidades) e interestadual (entre SC e os demais estados) de passageiros. Na Grande Florianópolis, o Setuf (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano) aguarda a notificação oficial para iniciar a cumprir a determinação.

No entanto, o transporte coletivo dentro das cidades não será suspenso com a nova medida, já que depende de determinação das prefeituras. Portanto, ainda é necessário que cada Prefeitura emita decisão semelhante para ter validade nas cidades.

SERVIÇOS ESSENCIAIS MANTIDOS

No entanto, o governador afirmou que serviços essenciais como farmácias, serviços funerais, mercados, supermercados e postos de combustíveis e de venda de gás e água não serão fechados.

SERVIÇOS NÃO ESSENCIAIS

Além desta quarentena no transporte coletivo, ficam suspensos outros serviços privados não essenciais. Entram nesta categoria, por exemplo, academias, shopping center, restaurantes e comércio em geral.

Leia também: 

HOTELARIA

O governador afirmou que o setor será instruído em uma portaria específica para o setor hoteleiro suspender as reservas no mesmo período de sete dias.

REUNIÃO DE PESSOAS

Também ficam suspensas por 30 dias qualquer tipo de aglomeração de pessoas, por exemplo aniversários, cursos presenciais, cultos e missas de igrejas.

INDÚSTRIA

O setor das indústrias também deverá operar com capacidade mínima necessária. No entanto, o Governo irá construir junto com o setor da indústria de Santa Catarina para chegar ao número que não inviabilize as atividades e previna de novos contágios de coronavírus.

Confira a entrevista coletiva:

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...