Estratégia de combate à Covid-19 em Chapecó conta com 600 páginas

Município contabiliza 441 casos confirmados do vírus; diversas medidas de enfrentamento já foram tomadas pelo poder público

Apesar de ter 441 casos confirmados do novo coronavírus, Chapecó está conseguindo conter os indicadores da doença dentro da avaliação esperada e da capacidade de atendimento na rede de saúde. Não mortes por conta da doença no município. 

Chapecó, no Oeste de SC – Foto: Prefeitura/Divulgação/NDChapecó, no Oeste de SC – Foto: Prefeitura/Divulgação/ND

O município publicou, nesta quinta-feira (14), o Boletim Estratégico – Covid-19, documento com 600 página reunindo todas as informações sobre as medidas de emergência decorrentes da pandemia de Covid-19. 

No documento estão publicados todos os atos, medidas, o cenário atual e as ações futuras, conforme avançar ou não a incidência de casos de coronavírus em Chapecó. 

Em destaque, as primeiras ações adotadas ainda em janeiro deste ano quando o prefeito Luciano Buligon deu publicidade à população chapecoense quanto à existência do vírus.

“Tecnicamente, foi então elaborado o Plano Municipal de Contingência para resposta às Emergências em Saúde Pública Doença pelo Sars-Cov-2 Covid-19 que definiu ações rápidas de resposta ao cenário que se apresentava”, diz o documento.

No município: as medidas 

O primeiro caso de Covid-19 em Chapecó foi registrado em 14 de março, com elevação considerável a partir de 24 de abril. Segundo o município, o aumento de diagnósticos positivos se deu por conta da alteração de protocolo da Secretaria de Estado da Saúde quanto aos exames.

Anteriormente eram testados apenas pacientes com Síndrome Respiratória Grave. A partir de 09 de abril foram incluídos os pacientes com Síndrome Respiratória, o que contribuiu para elevar as estatísticas e ajustar o quadro epidemiológico. Novas medidas foram, então, anunciadas.

Movimento em Chapecó com a reabertura do comércio local – Foto: Ascom/NDMovimento em Chapecó com a reabertura do comércio local – Foto: Ascom/ND

Com o considerável aumento no número de casos, aliado à suspensão do transporte coletivo, com impacto direto no deslocamento das pessoas, inclusive para o atendimento médico, conforme o município, se identificou a necessidade de abertura de um ambulatório de campanha anexo ao Pronto Atendimento da Efapi. 

A medida visa possibilitar o atendimento das pessoas sintomáticas daquela região da cidade. Essa estrutura está em construção e deve entrar em funcionamento nos próximos dias.

Diversas medidas foram anunciadas evitar aglomeração de pessoas e o contágio entre elas, a exemplo da obrigatoriedade de utilização das máscaras, o fechamento de espaços públicos como parques e praças e o aumento da fiscalização quanto ao descumprimento das medidas.

Leia também:

Segundo com o documento, o cenário de tomada de decisões será avaliado a partir de três critérios: número de pessoas contaminadas, número de óbitos e índice de ocupação dos leitos hospitalares. Este é o mais importante para identificar um agravamento dos casos e uma possibilidade, futura, de colapso do sistema de saúde.

Chapecó considera três cenários para adotar regras mais rígidas:

  • 50% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos seja ascendente, será determinado o fechamento de bares e similares e, outras atividades de lazer que porventura estejam em funcionamento;
  • 60% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos seja ascendente, será determinado o fechamento de todos os serviços não essenciais.
  • 80% de ocupação de leitos hospitalares destinados ao COVID-19 e, ao mesmo tempo, a curva de casos e de óbitos seja ascendente, será determinado lockdown, inclusive com todas as entradas do perímetro bloqueadas por profissionais de segurança e ninguém deve ter permissão de entrar ou sair sem justificativa plausível.

Plano Estratégico Hospitalar 

Chapecó possui Plano Estratégico Hospitalar para atuação no combate ao coronavírus com a possibilidade de se alcançar até 71 leitos de UTI no Hospital Regional do Oeste, além dos leitos disponíveis no Hospital da Unimed. Foi encaminhado ao Governo do Estado, cuja manifestação é no sentido de possibilitar que esse planejamento seja efetivado.

O Boletim Estratégico terá periodicidade semanal e servirá como ponto de apoio fundamental as estratégias de enfrentamento ao Covid-19 aliado ao Planejamento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde.

01 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
  • OLD SATR
    OLD SATR
    Há, há, há, há, há, há, há, há, há... Essa gente, surpreendentemente, se renova na arte de torrar dinheiro Público com coisas inúteis. 600 pgs. de teorias e previsões de "atolemadux". Alguns colocaram esta gente ai...

+ Saúde