Estudo aponta marca negativa de SC em ranking nacional da Covid-19; entenda

Pesquisa entre 11 e 18 junho aponta que Estado passou para o 2º lugar no ranking nacional dentro os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes

Um estudo realizado pelo Necat/UFSC (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense) indica que Santa Catarina continua com registros elevados nos números do novo coronavírus (Covid-19).

SC segue com números elevados da Covid-19 – Foto: Leo Munhoz/NDSC segue com números elevados da Covid-19 – Foto: Leo Munhoz/ND

O artigo é assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSC, e se baseia nos dados divulgados diariamente pelo governo do Estado.

>> Veja o artigo na íntegra

Foram analisados os números entre 11 e 18 de junho. Neste período, Santa Catarina apresentou 20.107 novos casos da doença com 344 novas mortes. Em função disso, o Estado passou para o segundo lugar no ranking nacional dentro os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes.

Fonte: Secretaria Estadual da Saúde – Boletins Epidemiológicos. Elaboração: NECATFonte: Secretaria Estadual da Saúde – Boletins Epidemiológicos. Elaboração: NECAT

O estudo aponta que Santa Catarina é o sexto Estado do país com o maior número de casos e o décimo com maior número de mortes. Segundo o estudo, os resultados são derivados dos elevados índices de contaminação registrados, sobretudo a partir do mês de novembro de 2020, quando o mais grave surto da doença tomou conta do Estado, permanecendo ativo até os dias atuais.

Na semana em consideração, a média semanal móvel de casos foi de 2.872 registros diários, enquanto a média semanal móvel de óbitos foi de 49 mortes ao dia.

Para o estudo, estes indicadores revelam a continuidade da gravidade da pandemia no Estado, especialmente em função de que a média de casos aumentou 9% em relação aos últimos 14 dias.

A reportagem do ND+ procurou a SES (Secretaria de Estado da Saúde) para comentar os números apontadas pelo estudo, mas não obteve retorno até o fechamento do material. O espaço está aberto.

Casos ativos

O texto também chama atenção para o fato de que, apesar de a média semanal móvel de casos ter reduzido 8% em relação à semana anterior, ela apresenta 28% de aumento em relação aos últimos 14 dias.

Fonte: Boletim Epidemiológico de Santa Catarina. Elaboração: NECAT-UFSC Nota: Devido às alterações realizadas pelo governo estadual em 31/8, os dados entre os dias 29/8 e 06/9 foram retirados para que o cálculo desse indicador não fosse afetado por tais modificaçõesFonte: Boletim Epidemiológico de Santa Catarina. Elaboração: NECAT-UFSC Nota: Devido às alterações realizadas pelo governo estadual em 31/8, os dados entre os dias 29/8 e 06/9 foram retirados para que o cálculo desse indicador não fosse afetado por tais modificações

O número de casos ativos, que superou a marca de 23 mil pessoas, também indica uma elevada contaminação da população e “a possibilidade concreta de geração de sobrecarga no sistema estadual de saúde. Tanto é assim que na data de elaboração do boletim aproximadamente 45 pessoas ainda aguardavam na fila de espera por um leito de UTI Covid-19”, diz o material.

Mapa de risco em SC

A nova matriz de risco divulgada pelo governo de Santa Catarina no último sábado (19) indica que apenas uma região do Estado não está no nível gravíssimo para a Covid-19. Somente a região Nordeste apresenta cor laranja, o que significa nível grave.

Novo mapa de risco mostra apenas uma região em nível grave – Foto: SES/DivulgaçãoNovo mapa de risco mostra apenas uma região em nível grave – Foto: SES/Divulgação

O mapa de risco avalia quatro indicadores em todas as regiões de Santa Catarina. Entre eles, o que mais preocupa atualmente é a capacidade de atenção, que diz respeito à ocupação de leitos de UTI Covid no Estado, já que todas as regiões estão em nível gravíssimo nesse critério.

A ocorrência de óbitos pela Covid-19 é outra dimensão analisada e que também preocupa no momento, já que a maioria das regiões apresenta alto número de mortes pela doença. Apenas o Nordeste e a Grande Florianópolis estão em situação menos alarmante.

Já a transmissibilidade, que está relacionada à variação no número de confirmação positiva e casos infectantes, apresenta bastante variação em todo o Estado, com algumas áreas em nível mais preocupante.

Por fim, o monitoramento, que trata do percentual de positividade dos exames, está acima de 30% em todo o Estado, com regiões em nível alto, grave e gravíssimo. Veja o detalhamento:

Indicadores do mapa de risco em cada região de Santa Catarina – Foto: SES/DivulgaçãoIndicadores do mapa de risco em cada região de Santa Catarina – Foto: SES/Divulgação

Vacinação

Segundo a última atualização às 18h50 desta terça-feira (22) do Vacinômetro, Santa Catarina tem 10,74% da população totalmente imunizada contra a Covid-19. Ou seja, 778.973 pessoas já tomaram as duas doses da vacina.

Especialistas indicam que o “número mágico” para que a vida “volte ao normal” é de ao menos 70% da população imunizada. Vale lembrar que o governo do Estado afirmou que vai vacinar toda a população catarinense com 18 anos ou mais até o dia 23 de outubro de 2021.

+

Saúde

Loading...