‘Eu senti medo’, diz pai de menino salvo após ser picado por cobra em Blumenau

Benjamin tem um ano e meio e estava na casa da avó quando tudo aconteceu

Mais um caso de criança picada por animal peçonhento chamou a atenção no Vale do Itajaí. Desta vez foi em Blumenau, onde um menino de  pouco mais de um ano sobreviveu após ser picado por uma cobra na segunda-feira (13).

Pequeno Benjamin foi atendido e segue hospitalizado – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/NDPequeno Benjamin foi atendido e segue hospitalizado – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/ND

Benjamin Vicente Machado tem um ano e meio e estava na casa da avó quando tudo aconteceu. O pai, Paulo Henrique de Almeida Machado, conta que o menino estava brincando com uma bola quando de repente começou a chorar de dor. A avó imediatamente viu o animal próximo ao bebê.

Enquanto a avó socorria o pequeno e avisava os pais da criança, um vizinho matou a cobra e a guardou em um recipiente para que pudessem levar junto ao hospital e identificar a espécie. A família imediatamente foi ao Hospital Santo Antônio, onde Paulo trabalha como técnico em radiologia.

“Chegamos no pronto socorro e rapidamente o Benjamin foi atendido. Saí para estacionar o carro e voltei pela entrada de funcionários, onde encontrei um enfermeiro, expliquei a situação e ele imediatamente foi verificar o caso”, contou à reportagem do ND+.

Vizinho da família matou a cobra que picou o menino de um ano e meio – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/NDVizinho da família matou a cobra que picou o menino de um ano e meio – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/ND

Por terem levado o animal junto, foi mais fácil identificar qual era a espécie da cobra e iniciar o tratamento. “Graças à agilidade da resposta do órgão responsável, pudemos saber qual o antídoto deveria ser aplicado”, relembra Paulo.

O órgão em questão é o CIATox (Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina), que identificou a cobra como sendo uma jararaca. Graças à rápida resposta, Benjamin foi medicado com o antídoto e segue hospitalizado desde então. O pequeno, por precaução, realizou três exames de sangue para analisar a evolução do medicamento.

Após três dias internado, a expectativa da família é de que o bebê receba alta hospitalar nesta quarta-feira (15).

Família lembrou do caso de Salete

Paulo relembra que naquela manhã comentou com a esposa sobre o caso de Brayan, o menino de 2 anos que morreu em Salete, e como precisavam tomar cuidado nessas situações. “Falei com a minha esposa de manhã e no mesmo dia aconteceu com o nosso filho”, lamenta.

Felizmente, a rápida ação da família e a identificação da espécie da cobra possibilitaram que o pequeno Benjamin pudesse ser medicado. Porém, Paulo fala que foram momentos de angústia até a chegada ao hospital. “Eu senti medo. Trabalho na área da saúde e sei que tudo pode acontecer e que não tem como prever. Toda nossa família ficou desesperada”.

Após três dias hospitalizado, a família tem expectativa de que a criança receba alta nesta quarta-feira 15) – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/NDApós três dias hospitalizado, a família tem expectativa de que a criança receba alta nesta quarta-feira 15) – Foto: Arquivo Pessoal/Paulo Henrique de Almeida Machado/ND

O caso Brayan

Nos últimos dias o caso de Brayan Gabriel Duarte dos Santos chamou a atenção. O pequeno de dois anos de idade morreu após ser picado por um animal peçonhento. Ainda não se sabe qual foi o bicho que picou o menino, que morreu no último domingo (12), mas a família suspeita que pode ter sido uma lacraia.

O CIATox foi acionado para auxiliar nos exames e analisar o material biológico coletado do corpo da criança.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...