Ex-ministro da Saúde Nelson Teich é ouvido pela CPI da Covid nesta quarta

Já o depoimento do general Eduardo Pazuello foi remarcado, após o ex-ministro dizer que teve contato com pessoas com Covid-19

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que assumiu a pasta em abril de 2020, após a saída de Luiz Henrique Mandetta, será ouvido pela CPI da Covid às 10h desta quarta-feira (5). Já o depoimento do general Eduardo Pazuello, que também comandou o ministério, foi remarcado para 19 de maio.

Ministro Nelson Teich participou de reunião com a Câmara dos Deputados nesta quinta (7) – Foto: José Dias/PR/Arquivo/NDMinistro Nelson Teich participou de reunião com a Câmara dos Deputados nesta quinta (7) – Foto: José Dias/PR/Arquivo/ND

Pazuello deveria depor nesta quarta-feira (5), mas alegou contato com pessoas diagnosticadas com Covid-19 e não vai comparecer à comissão. Já o depoimento de Teich, que seria na terça, foi adiado porque a sessão de Mandetta se alongou mais do que o previsto, durando mais de sete horas.

A CPI deve questionar Teich porque ele ficou menos de um mês na pasta, dando lugar a Eduardo Pazuello. Segundo divulgação da época, o ex-ministro não suportou ser obrigado a mudar o protocolo do Ministério da Saúde a favor do uso da cloroquina. Pazuello, por sua vez, fez isso logo após ser empossado.

Com o maior tempo de Ministério, tendo comandado a pasta por dez meses durante a pandemia, Pazuello deve ser questionado, entre outros assuntos, sobre o problema da falta de oxigênio em Manaus, o número de mortos e infectados pela doença e a demora na compra de vacinas.

Para quinta-feira (6), estão previstos os depoimentos do atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e do presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antônio Barra Torres.

Mandetta foi o primeiro a depor

Ouvido nesta terça-feira, o ex-minsitro Mandetta afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) negava enfrentar a gravidade da crise sanitária. “Ele nunca aceitou sentar comigo para ver a realidade que o seu governo estava para enfrentar”, relatou.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Arquivo/NDO ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Arquivo/ND

Ainda em seu depoimento, Mandetta disse que houve uma tentativa do governo de mudar a bula da cloroquina para apresentá-la como tratamento da Covid-19. ”

Eu imagino que, fora do Ministério da Saúde, ele (o presidente Jair Bolsonaro) conseguiu alguns aconselhamentos que os pautavam na pandemia.” Mas o ex-ministro disse não saber de quem foi essa ideia. O pedido, contudo, foi negado pelo presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Com informações do R7 e da Agência Brasil.

+

Saúde

Loading...