Fã de Amado Batista, paciente com Covid-19 faz pedido especial em transferência; assista

O desejo foi prontamente atendido pela equipe do SAMU de Chapecó que levava a mulher de 73 anos para Iporã do Oeste

O trajeto de transferência de uma mulher de 73 anos com Covid-19 de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, para Iporã do Oeste, teve uma trilha sonora especial. Enquanto estava na ambulância do SAMU a caminho do Hospital Beneficente Nossa Senhora das Mercedes, a música “Amor de Verdade” de Amado Batista tocou no rádio.

“Aumenta o volume que esse é o meu cantor favorito”, solicitou prontamente a idosa aos socorristas do SAMU, Karine Valer e Adão Cristova. Imediatamente o desejo foi atendido e Karine registrou o momento em um vídeo.

Assista o vídeo:

“Eu quero encontrar alguém que se entregue pra mim, com sentimento, desejo e paixão. Se for assim também vou me entregar e abrir o meu coração”.

Foi com essa letra que a transferência da idosa até o hospital em Iporã do Oeste se tornou um pouco mais calorosa.

Idosa estava internada na UPA

A técnica de enfermagem e socorrista, Karine, conta que a idosa estava internada de maneira improvisada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Na madrugada desta quinta-feira (18), ao vagar um leito de enfermaria no hospital de Iporã do Oeste, ela foi transferida para o município que fica distante cerca de 120 km de Chapecó.

Segundo ela, a paciente estava em quadro de saúde estável, mas a preocupação é constante uma vez que pacientes com Covid-19 têm agravamento no quadro de forma muito repentina.

“Quando ela pediu para aumentar a música eu estava falando com a central de regulação informando que estávamos a caminho. Naquele momento eu só pensei no bem-estar dela, porque, talvez, pode ser que tenha sido o último dia que ela escutou o cantor favorito dela”, comentou Karine emocionada.

Esgotamento psicológico

A técnica de enfermagem atua há mais de 10 anos com urgência e emergência e relata que nunca viveu nada parecido com a pandemia da Covid-19.

“Enquanto profissional estamos muito sobrecarregados. Essa pandemia está mexendo com o psicológico de todos. Então, dar uma palavra de conforto, deixar ouvir uma música, ligar para um familiar por vídeo chamada, tudo isso é, de certa forma, abraçar esses pacientes em um momento tão difícil”, acrescentou.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde