Florianópolis: Com 40% da população com a 1ª dose, é precoce falar em imunidade coletiva

Capital se aproxima dos 40% dos moradores vacinados com a 1ª dose, mas aplicação do reforço vacinal ainda é baixo; "Ainda não é hora de relaxar", alerta epidemiologista

Florianópolis está próxima de ter 40% dos seus moradores imunizados com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, mostram os dados do Vacinômetro de Santa Catarina desta quinta-feira (10). Entretanto os números não asseguram qualquer relaxamento seguro das medidas.

Ao todo, 39,1% dos moradores tomaram a primeira dose. A taxa caí para 13,1% quando o assunto é a segunda. “É precoce falar em imunidade de rebanho com esses indicadores”, avalia Jefferson Traebert, professor e epidemiologista da Unisul (Universidade do Sul de SC).

Entre as três Capitais do Sul do Brasil, Florianópolis é a segunda que mais vacinou com a primeira dose – Foto: Rogério da Silva/Divulgação NDEntre as três Capitais do Sul do Brasil, Florianópolis é a segunda que mais vacinou com a primeira dose – Foto: Rogério da Silva/Divulgação ND

Entre as capitais do sul do Brasil, Florianópolis está atrás de Porto Alegre, que já aplicou a primeira dose em 50,54% dos seus moradores, e 28,83% já tomaram a segunda. Curitiba está em último, pois vacinou apenas 28,97% de seus moradores com a D1. Hoje, a Capital catarinense aplica a primeira dose em moradores com 52 e 53 anos.

Conforme Traebert, é importante ressaltar que a imunização apenas é garantida com as duas doses. Os estudos que temos atualmente apenas consideram os resultados do esquema vacinal completo. “Não há como pressupor a eficácia da vacinação com apenas uma dose”, pontua.

A menor taxa do reforço vacinal reflete, em parte, o intervalo necessário entre as duas doses. Das três vacinas atualmente utilizadas em Santa Catarina, os imunizantes Pfizer e Astrazeneca requerem um intervalo de três meses. Quanto a Coronavac, a pausa é de 28 dias. Por outro lado, há uma baixa adesão, já admitida pela Secretaria Estadual de Saúde.

Na próxima semana, Santa Catarina recebe mais de 100 mil doses  da Janssen. Este será o quarto imunizante a ser adotado no Estado, e o primeiro que requer a aplicação de apenas uma dose.

Longe da imunidade de rebanho

Ainda estamos longe da sonhada imunidade de rebanho, quando certa parcela da população se torna imune ao vírus de forma a agir como uma barreira para a sua proliferação, protegendo toda a população, mesmo os não imunes.

“Ainda não existe um número mágico, mas seria algo próximo de 70% da população vacinada com a segunda dose”, explica Traebert. O ideal é que a maioria da população esteja protegida para que o vírus não consiga se espalhar mais. “É importante ressaltar é que as pessoas não relaxem e se vacinem. As pessoas precisam fazer o ciclo completo”, finaliza.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde