Florianópolis é a segunda cidade de SC com mais casos ativos da Covid-19; veja por bairros

Painel do governo do Estado mostra que há 619 infectados com potencial de transmitir a doença; três bairros estão casos ativos zerados

Com mais de 50% da população total vacinada, Florianópolis é a segunda cidade de Santa Catarina com mais casos ativos da Covid-19. A última atualização do painel do governo do Estado, feita nesta quinta-feira (23), mostra que há 619 infectados em fase de transmissão da doença.

Florianópolis é a segunda cidade de SC com mais casos ativos da Covid-19 – Foto: Leo Munhoz/NDFlorianópolis é a segunda cidade de SC com mais casos ativos da Covid-19 – Foto: Leo Munhoz/ND

A Capital catarinense está atrás apenas de Joinville, com 1.237 casos ativos. Em todo o Estado, o número chega a 8.435 infectados em fase de acompanhamento.

O Covidômetro municipal indica que, até esta sexta-feira (24), 53,9% da população total da cidade completou o esquema vacinal. Já 5,9% da população com indicação para a dose de reforço foi vacinada nessa modalidade.

A Secretaria de Saúde de Florianópolis diz que, considerando que a cidade é a segunda mais populosa do Estado, é natural que tenha o segundo maior número de casos ativos, levando em conta que SC tem se vacinado de forma homogênea.

Vacinação não inibe 100% o vírus

De acordo com o órgão municipal, do número total de casos ativos da Covid-19, 70% ocorrem em pessoas não vacinadas e 17% em população parcialmente imunizada. Isto é, que ainda não recebeu a segunda dose ou que recebeu há pouco tempo.

Mesmo assim, a pasta destaca que a vacina não impede o contágio, mas sim, a forma grave da doença e as mortes. Por isso, os cuidados devem permanecer como o uso de máscara, distanciamento social e a higienização das mãos.

Chaiana Esmeraldino Mendes Marcon, enfermeira e professora do Departamento de Saúde da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), também esclarece que a imunização não inibe 100% uma pessoa de contrair o vírus.

Mesmo aquelas já vacinadas podem se infectar  e entrar nos cálculos dos casos ativos.

“Quando falamos de imunização, é preciso ter isso em mente: que a vacina não inibe a contaminação contra a Covid-19, mas auxilia para que a pessoa desenvolva sintomas mais brandos da doença e não precise ser internado ou ocupar um leito de UTI”, diz Marcon.

Medidas de segurança

Outro ponto levantado pela professora universitária tem relação com um cenário cada vez mais otimista da pandemia e o consequente relaxamento, por parte da população, de medidas de segurança que evitam o contágio.

“Nos últimos meses, temos observado uma queda no número de casos da doença. Isso reflete no comportamento da população. As pessoas relaxam as medidas de isolamento social, uso do álcool em gel e até da máscara. A melhora no cenário gera uma autoconfiança e isso contribui para uma nova circulação do vírus.”, expõe.

Marcon acrescenta que parte da população, principalmente, os idosos, já foram imunizados com a segunda dose da vacina há mais de seis meses. Além disso, até o momento, a dose de reforço foi aplicada em uma porção pequena de pessoas.

Veja o número de casos ativos por bairros:

Números da Covid-19

Desde o início da pandemia, a Capital catarinense já confirmou 92.492 casos da Covid-19, sendo que 1.048 pessoas morreram em decorrência da doença. Por outro lado, 90.754 se recuperaram.

Há 81 leitos de UTI disponíveis pelo SUS na Grande Florianópolis. A taxa de ocupação de leitos de UTI na região é de 67%. Segundo o Covidômetro, 20 pacientes, moradores de Florianópolis, estão na UTI por Covid-19.

No mapa de risco que monitora o cenário da Covid-19 em Santa Catarina, a região da Grande Florianópolis está no nível alto (amarelo).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...