Florianópolis registra primeiro caso da variante Delta da Covid-19

Secretário municipal de Saúde afirma que caso apresenta características de caso comunitário, ou seja, Capital pode ter mais casos da cepa

Uma idosa, de 77 anos, é o primeiro caso confirmado da variante Delta da Covid-19 registrado em Florianópolis. Por conta disso, o secretário de Saúde da Capital avaliou a possibilidade de adoção de medidas mais restritivas e a importância do esquema vacinal completo.

Florianópolis registra primeiro caso da variante Delta da Covid-19 – Foto: Christian von Koenig/Unsplash/NDFlorianópolis registra primeiro caso da variante Delta da Covid-19 – Foto: Christian von Koenig/Unsplash/ND

Segundo o secretário municipal de saúde, Carlos Alberto Justo da Silva, a Prefeitura de Florianópolis foi avisada da confirmação do primeiro caso da cepa por volta da última sexta-feira (13).

“Entramos em contato com todas as pessoas que ela teve contato, assim como o seu filho, morador de São José, que realizou teste PCR e enviado para o sequenciamento genético. Ao que tudo indica, é um caso de transmissão comunitária. Porém, estamos tentando conversar com um motorista de aplicativo, com quem a paciente teve contato, para identificar as pessoas  que tiveram interação”, explica o secretário Carlos Alberto Justo da Silva.

Procurada pela reportagem do ND+, a Secretaria Municipal de Saúde informa que a idosa apresentou apenas sintomas leves, não precisou de internação, se recuperou em casa e passa bem.

Adoção de medidas mais restritivas

Apesar da confirmação do primeiro caso da variante Delta, tratada com maior cuidado por conta do poder de contaminação, o secretário municipal de saúde descartou a adoção de medidas mais restritivas.

“No momento não tem (conversas para medidas mais restritivas em Florianópolis). Existe uma atenção devido o aumento do número de doenças respiratórias, mas muito por conta da época do ano. É importante a realização de testes para isolar pessoas que podem testar positivo para a Covid-19”, complementa Carlos Alberto Justo da Silva.

Além disso, estabelecimentos de Florianópolis já anunciaram eventos particulares e festas para o início do verão de 2022.

“Dependerá da situação que estaremos no verão. Se continuarmos cuidando, respeitando as normas sanitárias e vacinando o restante da população, estaremos em um potencial favorável para, quem sabe, flexibilizações. Porém, ainda é cedo para sabermos qual será a situação daqui quatro ou cinco meses”, discorre o secretário.

Vacinação contra a Covid-19 em Florianópolis

Além da importância de obedecer as regras sanitárias, o secretário destacou a necessidade de completar o ciclo vacinal, ou seja, tomar as duas doses da vacina contra a Covid-19 ou a dose única da Janssen. No entanto, ele explica o principal problema para acelerar a vacinação da população de Florianópolis.

“As doses não ficam mais de 24 horas paradas, mas é necessário o envio. Se recebemos, aplicamos. A população vem cooperando e procurado se vacinar. A nossa expectativa é terminarmos a aplicação de pessoas até 18 anos em duas ou três semanas”, complementa o secretário Carlos Alberto.

Segundo o Vacinômetro, painel de monitoramento da Prefeitura de Florianópolis, atualizado na noite desta terça-feira (17), pouco mais de 376 mil pessoas receberam, no mínimo, a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na Capital. Este número representa 92,50% da população acima de 18 anos.

Além disso, outras 183.163 pessoas completaram o esquema vacinal, ou seja, 45% da população acima de 18 anos e 36% da população total de Florianópolis.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...