Florianópolis tem mais de 100 casos de Ômicron e aumento de 37% de Covid-19; veja por bairro

Aglomerações de fim de ano e relaxamento das medidas de segurança favoreceram propagação do vírus; Saúde ampliará testagem e capacidade de atendimento

Florianópolis vivencia aumento no número da casos de Covid-19, que cresceram 37% nesta última semana. Além disso, os casos registrados da variante Ômicron chegaram a 102 nesta segunda-feira (3), segundo a Secretaria de Saúde da Capital.

O cenário é perceptível nas unidades de saúde, que nesta segunda e terça-feira (4) amanheceram cheias de moradores com sintomas respiratórios, como tosse e febre. Além das infecções de coronavírus, os médicos diagnosticam também casos de gripe.

Pacientes aguardam atendimento nas UPAs da Capital. Procura aumentou entre 40 e 50% – Foto: Leo Munhoz/NDPacientes aguardam atendimento nas UPAs da Capital. Procura aumentou entre 40 e 50% – Foto: Leo Munhoz/ND

A procura por atendimento aumentou entre 40% e 50% nas unidades, conforme relatado pelos diretores dos hospitais e prontos-socorros. O cenário reverte a melhora na pandemia registrada desde outubro, quando o números de positivados com Covid-19 não ultrapassava a casa dos 100 em Florianópolis.

A marca negativa voltou a ser registrada a partir de meados de dezembro, quando a transmissão do novo coronavírus passou a “reacelerar”. Na semana entre os dias 15 e 19 de dezembro a Vigilância Sanitária registrou 672 casos de Covid-19, de acordo com dados do Vacinômetro.

Os casos registrados saltaram para 885 durante a semana dos dias 20 de dezembro e 26 dezembro. No período seguinte, que celebrou a transição para 2022, o número foi ainda maior: 1214 casos foram registrados na cidade entre 27 de dezembro e 2 de janeiro .

Registro de casos ativos em Florianópolis. No fim do gráfico é possível a retomada do aumento de casos- Foto: Covidometro/Divulgação/NDRegistro de casos ativos em Florianópolis. No fim do gráfico é possível a retomada do aumento de casos- Foto: Covidometro/Divulgação/ND

Ômicron, confraternizações de fim de ano e relaxamento

“As pessoas relaxaram com as medidas de proteção, principalmente com a máscara. Somado a essa variante (Ômicron) com maior disseminação e o aumento na capacidade dos eventos, tivemos o aumento”, explica Priscilla Valler, diretora em Vigilância em Saúde de Florianópolis.

Diferentes surtos de Covid-19 foram identificados nas últimas semanas, principalmente em confraternizações de fim de ano e Natal, assim como em hotéis e bares – número que cresce com a realização dos teste e posterior rastreio. A pasta não informou a quantidade.

“Com a confirmação da transmissão comunitária da variante Ômicron os surtos ficam mais evidentes. Até o dia de ontem [segunda-feira] 102 casos da variante foram registrados em amostras aleatórias. Vimos também a confirmação em assintomáticas aumentar”, explica a diretora.

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira (4), a Secretaria de Saúde decidiu pela ampliação da capacidade de testagem e o reforço de pessoal nas UPAs  (Unidade de Pronto Atendimento). “Estamos com dificuldade em realizar todos os testes por conta do aumento da demanda”, afirma Valler.

Testagens no SEAD/Centro, que recebe pacientes assintomáticos – Foto: Leo Munhoz/NDTestagens no SEAD/Centro, que recebe pacientes assintomáticos – Foto: Leo Munhoz/ND

Agravamento na Grande Florianópolis

A “aceleração” da SARS-CoV-2 atinge toda a Grande Florianópolis. Os treze municípios da região registraram a maior alta de infecções simultâneas na última semana. Eram 1.151 casos no fim de novembro que saltaram 1.274 ao fim de dezembro.

Conforme a secretaria estadual de Saúde, a Grande Florianópolis tem 76.19% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados – é a taxa mais alta do Estado. Dos 252 leitos ativos, 192 estão ocupados e 60 disponíveis.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...