Fungo negro: novo caso suspeito é investigado em cidade do Norte de SC

Em Santa Catarina, já são três casos suspeitos, dois na região Norte

Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, investiga um caso suspeito de fungo negro. Trata-se de um homem de 66 anos internado no Hospital São José. Ele teria sido diagnosticado com coronavírus, se recuperado, e agora apresentou lesões que podem estar relacionadas com o fungo negro.

hospital são josé Jaraguá do sulHospital São José Jaraguá do Sul – Foto: RK Consultoria Técnica/Divulgação ND

A Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul já foi notificada do caso pelo hospital São José. Imediatamente notificou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), que também acompanha o caso.

A Saúde de Jaraguá pede tranquilidade à população até porque o caso está sendo investigado, o fungo negro não é uma doença nova e não há risco de transmissão.

Em Santa Catarina, são três casos suspeitos: Joinville, Chapecó e Jaraguá do Sul.

Ainda não há nenhum resultado. A Dive aguarda confirmação laboratorial que pode demorar mais de 25 dias.

No Brasil, são 30 casos suspeitos em investigação, incluindo os três casos de SC.

Por enquanto, o Ministério da Saúde diz que “não é possível relacionar os casos de mucormicose (“fungo negro”) registrados no Brasil com a Covid-19 e as variantes do vírus”.

O que é fungo negro?

Mucormicose (fungo negro) – Foto: Reprodução/Divulgação NDMucormicose (fungo negro) – Foto: Reprodução/Divulgação ND

O médico infectologista da Dive/SC, Fábio Gaudenzi, explica a doença.

“Importante lembrar que essa doença, a mucormicose, é uma infecção fúngica invasiva grave e que pode acometer as pessoas que já estão com a imunidade muito reduzida”, comenta o médico.

Segundo Gaudenzi, a mucormicose é um fungo que se encontra no ambiente geral e normalmente é inalada pelas pessoas.

“Esse fungo estando em nosso sistema imunológico com sua função preservada nosso organismo vai inativá-lo, destruí-lo e não vai evoluir como doença”, explica.

“É importante lembrar que a Índia notificou a OMS (Organização Mundial da Saúde) de um aumento de casos de mucormicose relacionada com a Covid-19. É importante salientar que está sendo feita uma investigação para entender qual é a causa específica desse aumento, se realmente a relação direta com a infecção pela Covid-19 ou outros fatores de risco envolvidos”, completa.

A investigação também vai acontecer no Brasil. “Todos os casos serão monitorados pelas vigilâncias epidemiológicas municipais”, finaliza o médico.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde