Fura-fila: Secretário de Saúde é investigado após tomar a vacina da Covid-19

Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar denúncia que envolve o secretário de Saúde, Gilvani Carneiro

A vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina continua a passos lentos e o Ministério Público investiga de perto desvios de imunizantes e casos de fura-fila em todo o Estado. No Planalto Norte, mais um caso está sendo apurado e envolve, inclusive, o secretário de Saúde do município.

Ministério Público investiga possível fura-fila em Monte Castelo – Foto: Secom Joinville/Divulgação NDMinistério Público investiga possível fura-fila em Monte Castelo – Foto: Secom Joinville/Divulgação ND

O promotor Antônio Junior Brigatti Nascimento instaurou, na sexta-feira (19), inquérito civil para “apurar a prática de eventual ato de improbidade administrativa na conduta do Secretário de Saúde do Município de Monte Castelo, Gilvani Carneiro, por eventual inobservância na ordem de prioridade e escalonamento de imunização contra a covid-19, estabelecidos pelo Ministério da Saúde e Comissão Bipartite do Estado de Santa Catarina”.

Segundo a investigação, o secretário de saúde teria recebido a primeira dose da vacina no dia 2 de março. No entanto, de acordo com o Plano Nacional e Estadual de Vacinação contra a Covid-19, há uma série de critérios que estabelecem a ordem de vacinação.

Além dos depoimentos de duas enfermeiras, marcados para a manhã de quinta-feira (25), o promotor deu prazo de cinco dias para o prefeito encaminhar a relação de todos os servidores lotados na Secretaria de Saúde com seus cargos; relação dos servidores que fazem a imunização da Covid-19 e cópia de todas as mensagens trocadas entre o município e órgãos estaduais e federais envolvendo a logística da vacinação.

Além disso, a regional de Saúde também foi notificada para enviar as mensagens e, ainda, informar se a Secretaria de Saúde de Monte Castelo repassou alguma listagem com os nomes dos servidores que seriam vacinados contra a Covid-19 nos dois primeiros lotes recebidos pelo município. O prazo também é de cinco dias a partir de segunda-feira (22).

Procurado pela reportagem do ND+, o secretário de Saúde ressalta que foram seguidas todas as orientações e informe técnico enviado pelo Ministério da Saúde para realizar as ações e definir os grupos vacinados.

Confira a nota na íntegra:

Considera-se trabalhadores da saúde a serem vacinados, os indivíduos que trabalham em estabelecimentos de serviços de saúde, exemplos de hospitais, clínicas, ambulatórios, unidades básicas de saúde, laboratórios, farmácias, drogarias, e outros locais  conforme resolução nº 287, de 8 de outubro de 1998, do Conselho nacional de saúde (médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, odontólogos, fonoaudiólogo, psicólogo, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários  e seus respectivos técnicos e auxiliares)agentes comunitários de saúde, agente de endemias, profissionais da vigilância em saúde e os trabalhadores de apoio(recepcionistas, segurança, trabalhadores da limpeza, cozinheiro, e auxiliares, motorista da ambulância, gestores e outros). Foram seguidas todas as orientações pela vigilância epidemiológica conforme informe técnico recebido pelo Ministério da Saúde para realizar as ações e grupos a ser vacinados. Ou seja, a diretora da vigilância epidemiológica e enfermeiros da atenção básica definiram os grupos a serem vacinados.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde