Governo de SC e médicos se reúnem para discutir agravamento da Covid-19

Reunião foi marcada para o fim de junho por conta da preocupação da chegada do inverno e, como resultado, o aumento de doenças respiratórias e lotação da rede hospitalar

O Governo do Estado e o Cosemesc (Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina) agendaram uma reunião para o dia 29 de junho com o objetivo de tratar dos desafios no enfrentamento da Covid-19 e o aumento das doenças respiratórias neste período de inverno.

Santa Catarina registra mais de 22 mil casos ativos da Covid-19 – Foto: Mufid Majnun/Unsplash/NDSanta Catarina registra mais de 22 mil casos ativos da Covid-19 – Foto: Mufid Majnun/Unsplash/ND

Conforme a ACM (Associação Catarinense de Medicina), o aumento no registro de doenças respiratórias precisam de uma atenção extra até os meses de agosto e setembro, principalmente. O anúncio do agendamento da reunião ocorreu em audiência na última segunda-feira (7).

Segundo o presidente da Sociedade Catarinense de Infectologia, Fábio Gaudenzi, não tem uma relação direta com a estação do ano e o pico da pandemia da Covid-19.

“Existe uma maior circulação de vírus respiratórios de uma maneira em geral durante o inverno. Isso porque as pessoas ficam aglomeradas em ambientes fechados”, explicou Fábio Gaudenzi.

Assim como já alertou o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, Santa Catarina já vive uma terceira onda com o aumento dos registros da Covid-19.

Conforme o boletim epidemiológico, divulgado nesta quarta-feira (9), houve o acréscimo de 3.011 casos ativos nas últimas 24 horas. No total, já são 22.105 catarinenses que ainda não se recuperaram da Covid-19 e podem transmitir a doença.

“Pelo grande número de casos ativos em um período prolongado, como estamos vivendo, existe um risco iminente de aumento expressivo de casos com o novo colapso da rede de saúde”, concluiu.

Segundo o painel de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do SUS (Sistema Único de Saúde), atualizado na manhã desta quarta-feira (9), Santa Catarina registra 94,81% de ocupação dos 1.811 leitos ativos, ou seja, restando apenas 94.

Já em relação aos leitos destinados para pacientes em tratamento da Covid-19, a taxa de lotação sobe para 95,19%. Dos 1.060 disponíveis em todo o território catarinense, apenas 51 estão livres. Vale ressaltar que a região Oeste está com todos os 156 leitos ocupados.

O encontro do dia 29 de junho será realizado através de vídeo-reunião e transmitido pelo canal da ACM.

A reportagem do ND+ procurou o secretário André Motta Ribeiro, mas não houve um retorno até a publicação.

Reunião abordou outros pontos

Durante o encontro da última segunda-feira (7), ficou definido ainda que haverá uma agenda mensal fixa de reuniões entre o Conselho Superior e a SES (Secretaria de Estado da Saúde).

Além disso, a atual situação do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), andamento do projeto do novo complexo hospitalar, financiamento da assistência pública, sendo para o conhecimento da rede de atendimento de emergência e vacinação contra a Covid-19.

+

Saúde