Covid-19: SC terá toque de recolher e novas restrições

Restrição nas medidas de enfrentamento ao novo coronavírus deve ser publicada no Diário Oficial do Estado em até 48h; deliberações devem se estender pelos próximos 15 dias

O governo do Estado deve publicar uma portaria, ainda nesta quarta-feira (2), impondo uma espécie de “toque de recolher” em todo o território estadual. A decisão foi tomada pelo Governo do Estado durante reunião com os prefeitos das 21 maiores cidades catarinenses.

Covid-19: SC terá toque de recolher e novas restrições – Foto: Ian Sell/NDCovid-19: SC terá toque de recolher e novas restrições – Foto: Ian Sell/ND

Eles decidiram pela entrada em vigor de um toque de recolher durante a madrugada, assim como pela manutenção do transporte coletivo, desde que seja respeitada uma ocupação máxima de 70% da capacidade dos ônibus.

Também será tornado obrigatório o uso da máscara em todos os ambientes, com exceção dos espaços domiciliares.

Em relação ao comércio, prefeitos e Governo do Estado deliberaram pela possibilidade de ampliação dos horários de atendimento no fim de ano, para não promover aglomerações.

Na parte da noite, os estabelecimentos deverão fechar as portas até as 23h, com a possibilidade de atender os clientes que já se encontrarem no recinto até meia-noite.

Atividades econômicas mantidas

Segundo o governador, as medidas têm o objetivo de frear o avanço da doença ao mesmo em que mantêm as atividades econômicas do Estado em funcionamento. Medidas semelhantes foram adotadas nos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul.

Além de Criciúma e Blumenau, que já confirmaram o conteúdo da reunião que deliberou pela alternativa, a Fecam (Federação Catarinense de Municípios) também adiantou essa definição. Logo em seguida, a Secretaria de Estado da Saúde divulgou os detalhes da reunião.

A nova determinação, com as devidas regras, deverá ser publicada no DOU (Diário Oficial do Estado) nas próximas 48 horas. A validade do decreto é, a princípio, por 15 dias a partir da publicação oficial.

Participaram da reunião os secretários estaduais da Saúde, André Motta Ribeiro, da Administração, Jorge Eduardo Tasca, da Fazenda, Paulo Eli, o chefe da Casa Civil, Eron Giordani, além de representantes do Conselho dos Secretários Municipais da Saúde (Cosems) e do Ministério da Saúde.

O encontro entre o governador e os prefeitos foi realizado, de maneira virtual, no final da tarde desta quarta.

Moisés falou com a reportagem da NDTV nesta segunda-feira – Foto: Mauricio Vieira/SecomMoisés falou com a reportagem da NDTV nesta segunda-feira – Foto: Mauricio Vieira/Secom

Entenda as novas restrições que entrarão em vigor

Atendimento à noite

Dentre as restrições, a principal delas está no limite para o funcionamento de estabelecimentos noturnos. O atendimento presencial terá que ser limitado até às 23h, podendo depois disso, somente, sistema delivery ou retirada no balcão.

Toque de recolher

Esse recolhimento da população deverá ser estendido entre 23h e 5h. Os detalhes, no entanto, serão destrinchados pelo governo de SC a qualquer momento.

Em contato com a Fecam a definição foi confirmada. Além do regramento para o funcionamento, haverá reforço na fiscalização das medidas restritivas.

Abrangência das medidas

Outro detalhe adiantado pela Federação diz respeito ao âmbito do decreto que será estadual, como anteriormente, podendo os municípios, no máximo, enrijecer orientações.

Transporte coletivo

Conforme apurado, questões como o transporte público seguirá sem maiores alterações tendo a ocupação estipulada em 70% da capacidade.

Uso de máscaras

O uso de máscara passará a ser obrigatório em todo o território estadual, bem como outras medidas para que aglomerações sejam evitadas.

Aceleração do contágio é o motivo das novas medidas

A aceleração do vírus, em Santa Catarina, é o principal motivo para que governo e municípios consigam estancar a alta que, segundo mostram os números, é a maior em todo o País. Mais de 90% do território catarinense está sob o risco gravíssimo de contágio do novo coronavírus.

Nesta semana, 15 das 16 regiões estão em nível gravíssimo para a Covid-19 e Santa Catarina está 90% no “vermelho” – Foto: Reprodução/NDNesta semana, 15 das 16 regiões estão em nível gravíssimo para a Covid-19 e Santa Catarina está 90% no “vermelho” – Foto: Reprodução/ND

Da semana passada para esta, subiram de nível as regiões do Alto Uruguai e Foz do Rio Itajaí. A taxa de transmissibilidade apresenta-se como gravíssima em 14 regiões.

Ainda de acordo com a Matriz, apenas as regiões do Planalto Norte e Extremos Oeste não tiveram um aumento no número de óbitos.

No índice de capacidade de atenção, que mede a taxa de ocupação de UTIs, destaque para a elevação da região do Foz do Rio Itajaí, que na última semana se apresentava como moderado (cor azul) e agora encontra-se em gravíssimo (cor vermelha).

Criciúma e Blumenau

Por sugestão do prefeito Clésio Salvaro (PSDB), de Criciúma, ficou a cargo de entidades que regem diferentes segmentos como: comércio, supermercados e outros serviços essenciais, a opção de ampliar o horário de atendimento ao público, como forma de minimizar aglomerações em horários de pico.

Clésio Salvaro (PSDB), prefeito de Criciúma, já manifestou o apoio a essa nova determinação no município da região Sul – Foto: Reprodução vídeoClésio Salvaro (PSDB), prefeito de Criciúma, já manifestou o apoio a essa nova determinação no município da região Sul – Foto: Reprodução vídeo

Além de Criciúma, Blumenau também confirmou o teor do encontro que visa,  mais do que nunca, frear o contágio no território catarinense.

+

Saúde