Governo já tem previsão para início da vacinação contra Covid-19 em Santa Catarina

Expectativa está relacionada à data prevista pelo governo federal, que estima que os brasileiros começarão a ser imunizados a partir de 20 de janeiro

Os catarinenses já podem ficar mais otimistas com o início da vacinação contra a Covid-19.

Isso porque a Secretaria de Estado da Saúde informou, nesta sexta-feira (8), que a imunização da população deve começar até a primeira semana de fevereiro em Santa Catarina.

Governo já tem previsão para início da vacinação contra Covid-19 em Santa Catarina – Foto: Arquivo/NDGoverno já tem previsão para início da vacinação contra Covid-19 em Santa Catarina – Foto: Arquivo/ND

A expectativa da Secretaria está relacionada à data prevista pelo governo federal, que estima que os brasileiros começarão a ser imunizados até o dia 20 de janeiro, após aprovação dos imunizantes da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Oxford/AstraZeneca, e do Butantan, a CoronaVac.

Nesta quinta-feira (7), o governo federal anunciou a compra de 100 milhões de doses da CoronaVac. A Secretaria de Estado da Saúde prevê o recebimento de um quantitativo de doses na última semana de janeiro ou, mais tardar, início de fevereiro.

A imunização dos catarinenses ocorrerá de acordo com o governo federal e os municípios. A expectativa é de que 2,8 milhões de pessoas dos grupos prioritários sejam vacinadas em um primeiro momento.

A vacina (ou vacinas) adotada pelo Plano Estadual de Vacinação contra
a Covid-19 será definida pelo Ministério da Saúde.

Plano Estadual de Vacinação

O Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 aponta todas as diretrizes para o trabalho de imunização da população em Santa Catarina.

O documento de 25 páginas descreve a logística para a distribuição dos insumos pelo Estado, com a utilização de uma central e de 17 unidades regionais da Secretaria de Estado da Saúde. Estas, por sua vez, repassarão as doses aos municípios.

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde, o treinamento dos vacinadores está ocorrendo por meio de aulas em vídeo.

O Governo do Estado afirmou ainda, que possui estoque suficiente de seringas e agulhas para iniciar a campanha de vacinação contra a Covid-19.

Além disso, processos de aquisição desses insumos seguem em andamento, com o objetivo de garantir quantitativo suficiente para vacinar toda a população catarinense.

Uso emergencial da CoronaVac

O imunizante desenvolvido pela fabricante chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, tem eficácia de 78% e está mais próximo de ser a primeira vacina contra a Covid-19 liberada no Brasil.

Nesta sexta-feira (8), o Instituto Butantan formalizou na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) pedido para uso emergencial da CoronaVac.

Em nota, a Anvisa informa que “já iniciou a triagem dos documentos presentes na solicitação e da proposta de uso emergencial que o laboratório pretende fazer”.

Fecam espera doses no fim de janeiro

A Fecam (Federação Catarinense de Municípios), que oficializou no dia 10 de dezembro o interesse na compra da CoronaVac, prevê que as cidades catarinenses tenham acesso às doses no fim de janeiro

O protocolo assinado entre a entidade e o Instituto Butantan garante a reserva técnica de 500 mil doses para os municípios de Santa Catarina.

Com a assinatura do protocolo de intenção, fica aberto o caminho para que os municípios catarinenses adquiram o imunizante.

Uso emergencial da vacina de Oxford

No mesmo dia em que o Instituto Butantan formalizou o pedido de autorização de uso emergencial para a vacina Coronavac, a Fiocruz encaminhou o pedido à Anvisa para uso emergencial da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca.

As doses em questão serão importadas do Instituto Serum, da Índia. Após a confirmação de que o pedido contém todos os documentos necessários, a Anvisa terá 10 dias para fazer a análise dar – ou não – o aval para o uso do imunizante no país.

+

Saúde