Governo volta a discutir plano de convívio para retomada de atividades em Santa Catarina

A reunião acontece após a edição do decreto 535/2020, que prorroga o isolamento social no Estado por mais sete dias

O Governo do Estado voltou a reunir o grupo de trabalho nesta terça-feira (31) para discutir o plano de convívio diante da pandemia do novo coronavírus. A reunião acontece após a edição do decreto 535/2020, que prorroga o isolamento social em Santa Catarina por mais sete dias.

Reunião discutiu discutir plano de convívio, que inclui atividades econômicas. – Foto: Cristiano Estrela/Secom

A novidade foi a participação de representantes da Fecam (Federação Catarinense de Municípios) e de entidades empresariais no debate.

A reunião foi conduzida pelo chefe da Casa Civil, Douglas Borba, que anunciou que o grupo passará a se reunir todos os dias, às 14h, sob o comando do secretário da Fazenda, Paulo Eli.

Segundo Borba, embora as medidas de restrição sigam vigentes em todo o território catarinense, é preciso preparar desde já a reabertura do Estado.

Nas reuniões será discutido o que será aberto, quando isso acontecerá e como. Também serão discutidas medidas de segurança.

Leia também:

“Queremos ouvir todos os agentes envolvidos neste momento difícil para Santa Catarina. A colaboração na construção de soluções é fundamental. Por isso, juntamos nesse grupo de trabalho as principais entidades do setor produtivo, um representante da Alesc e a Fecam, representada pela prefeita Adeliana Dal Pont, de São José. Precisamos buscar um equilíbrio entre saúde da população e a economia, para que possamos nos recuperar o mais rapidamente possível dessa crise”, afirmou Borba.

Foi apresentado ao grupo de trabalho um relatório que demonstra que todos os estados da Federação adotaram as medidas de isolamento social, como forma de enfrentamento ao coronavírus.

De acordo com Borba, trata-se de uma medida nacional, não adotada apenas por Santa Catarina.

Também participaram da reunião desta terça-feira a vice-governadora Daniela Reinehr e os secretários Paulo Eli (Fazenda), Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico), Ricardo de Gouvêa (Agricultura e Pesca), além do presidentes da Fiesc, Mario Cezar Aguiar, da FCDL, Ivan Roberto, da Fecomércio, Bruno Breithaup, da Facisc, Jonny Zulauf, e da Fecoagro, Cláudio Post.

A Alesc indicará um parlamentar para participar do grupo, que conta ainda com representantes do MPF (Ministério Público Federal), do MPSC (Ministério Público estadual) e do MPT (Ministério Público do Trabalho).

+

Saúde