Grande Florianópolis terá 10 novos leitos de UTI e 50 clínicos

Estado vive colapso do sistema de saúde, com mais de 450 pacientes na fila de espera para tratamento nos leitos de UTI; Grande Florianópolis soma maior fila

Em anúncio feito pelo secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, a gestão de Santa Catarina firma uma pactuação de 10 novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na região da Grande Florianópolis.

A medida, ante o colapso do sistema público do Estado, também contempla 40 leitos clínicos.

A informação foi dada pelo secretário nesta quinta-feira (18), enquanto Motta visitava os municípios de Santo Amaro da Imperatriz e Palhoça.

leitos; covid-19; uti; sc; grande florianópolisGestão atua paralelamente para abertura de 16 leitos em Biguaçu, também na Grande Florianópolis – Foto: Mauricio Vieira/Arquivo/Secom

Os 10 leitos de UTI são para o Hospital São Francisco de Assis, em Santo Amaro da Imperatriz, que também terá 30 leitos clínicos, sendo oito de suporte ventilatório, para pacientes em tratamento da Covid-19. A estimativa é de que eles estejam ativos no prazo de 10 dias.

Já o município de Palhoça, no entorno da capital, deve receber 20 leitos clínicos na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) 24 horas, que será inaugurada na Praia do Sonho. Dos 20, dois serão de suporte ventilatório.

Paralelamente, a gestão do Estado também atua na abertura de mais 33 leitos para tratamento da Covid-19, sendo 16 no município de Biguaçu, também na Grande Florianópolis. O ato oficial prevê atender quatro unidades hospitalares.

  • Hospital Regional de Biguaçu Helmuth Nass – 16
  •  Hospital São Camilo, em Ipumirim – 2
  • Hospital São Pedro, em Itá – 10
  • Hospital Regional de Palmitos, em Palmitos – 5

456 pacientes seguem na fila de UTI em SC

As medidas citadas tratam-se de uma corrida do governo do Estado em abrir nova unidades de UTI ante um colapso do sistema de saúde, que soma 1.670 leitos ativos, mas não suportou a alta na transmissiblidade, que já resulta em mais de 35 mil contaminados ativos.

O número de pacientes na fila para receber um tratamento em um leito é de 456 nesta quinta (18), com somente um paciente a menos do que no dia anterior.

A fila de pacientes que se mantém estável ou maior nos últimos dias.

Os dados indicam a situação que ainda é grave no Estado, com 99% dos leitos adultos ocupados. Contudo, o número é “virtualmente inferior à realidade”, segundo nota da própria Secretaria da Saúde.

Com a situação crítica, os hospitais já ensaiam a adoção do protocolo internacional de saúde, que prevê ofertar  assistência para quem tem maior probabilidade de sobreviver.

A Grande Florianópolis é a região com a maior demanda de contaminados pela Covid-19, com 89 pacientes.

Atualmente, são 970 infectados pela Covid-19 que estão na UTI em algum dos 55 hospitais do Estado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde