Grande Florianópolis voltará a ter medidas conjuntas de combate à Covid-19

A ideia é de que a partir de quarta-feira (5) o alinhamento seja de 100% em Biguaçu, Florianópolis, Palhoça e São José

Os prefeitos das quatro principais cidades da Grande Florianópolis (Biguaçu, Florianópolis, Palhoça e São José) fizeram uma reunião na sexta-feira (28) para alinhar medidas de enfrentamento da Covid-19 a partir da próxima semana.

A ideia é de que a partir de quarta-feira (5) o alinhamento seja de 100% com a flexibilização das restrições em algumas atividades em Florianópolis e São José.

Grande Florianópolis voltará a ter medidas conjuntas de combate à Covid-19 – Foto: Anderson Coelho/ND

No início do mês de julho, após o aumento de casos na região, os quatro municípios fizeram um alinhamento de restrições. Porém, desde o último dia 14, Palhoça e Biguaçu editaram os decretos municipais com alterações, como a liberação do funcionamento de shoppings aos domingos e autorização de atividades físicas na beira da praia.

De acordo com a prefeita de São José, Adeliana Dal Pont (PSD), o alinhamento pode oferecer maior segurança e tranquilidade para a população.

“É importante que a população tenha clareza das decisões. Estamos trabalhando os quatro municípios juntos”, declarou.

Dal Pont ressalta que os prefeitos da Grande Florianópolis têm dialogado com frequência, e que as exceções autorizadas por Palhoça e Biguaçu fazem parte dessa conversa.

“É claro que alguns municípios têm características diferentes de outros e acontecem algumas ações diferenciadas, mas as mudanças que deverão ocorrer na próxima semana são coletivas”, anunciou.

A expectativa fica por conta da liberação da prática esportiva na Avenida Beira-Mar Norte e nas praias de Florianópolis. A prefeitura da Capital também estuda permitir a colocação de mesas e cadeiras ao ar livre por restaurantes localizados na orla. Há o entendimento de que são atividades que não terão grande impacto no contágio, que está em queda. Na última semana, pela primeira vez, o índice de transmissibilidade esteve abaixo de 1.0.

“Nós tínhamos um compromisso com a sociedade de não ter nenhum tipo de nova atividade liberada enquanto os números não parassem de crescer. A partir de agora começamos a analisar situações que podem retornar com menor risco, tudo justificado”, relatou o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em entrevista durante a semana.

O decreto em vigor proíbe essas atividades até o dia 4 de setembro, mas deve ser revogado. Para a retomada dessas atividades, a prefeitura de Florianópolis irá estabelecer protocolos de segurança.

“A gente não libera por liberar. A gente libera com um critério bem elaborado”, completou Loureiro.

+

Saúde