Higienização de alimentos: como evitar riscos durante a quarentena

Nutricionista fala sobre cuidados que devemos ter no preparo e armazenamento da comida durante a pandemia de coronavírus

Já sabemos que lavar as mãos com água e sabão e usar álcool gel 70% são as medidas de higiene mais efetivas para evitar contaminação pelo novo coronavírus. 

No entanto, o que fazer com os alimentos? Como eles devem ser lavados e acondicionados? É possível se contaminar com o vírus manipulando alimentos? Tomar suplemento de vitamina C é eficaz para se proteger? 

Comer alimentos frescos e cuidar com a higienização e armazenamento são as dicas para enfrentar a quarentena com segurança e saúde – Foto: Freepik/Portal R7/Divulgação/NDComer alimentos frescos e cuidar com a higienização e armazenamento são as dicas para enfrentar a quarentena com segurança e saúde – Foto: Freepik/Portal R7/Divulgação/ND

Para responder essas e outras dúvidas, a reportagem do nd+ conversou com o nutricionista especialista em nutrição esportiva e funcional, Takeo Kimoto. Veja abaixo as orientações dele para lavar, manipular e guardar alimentos durante o período de quarentena em casa.

Já quem prepara alimentos em lanchonetes, restaurantes, padarias, cozinhas industriais e outros estabelecimentos comerciais, pode se interessar pelo curso online e gratuito de Boas Práticas de Manipulação em Serviços de Alimentação, disponibilizado pela Anvisa.

Higienização dos alimentos

Diante da pandemia do novo coronavírus, como deve ser feita a higienização dos alimentos?
Kimoto – Primeiro é preciso deixar claro que não existem evidências científicas mostrando que um alimento pode ser vetor de transmissão do coronavírus, mesmo que tenha sido manuseado por alguém infectado. Contudo, a higienização é muito importante para evitar outras doenças. 

No caso de frutas, verduras e legumes, o primeiro passo é lavar em água corrente e, se possível, usar uma escovinha para tirar a sujeira maior. Depois, colocar em solução contendo 1 a 2 colheres (sopa) de vinagre em um litro de água, por 5 a 10 minutos. O vinagre ajudará a desgrudar os microrganismos da casca e superfície dos alimentos, mas não os mata. 

Na sequência, colocar os alimentos de molho em outra solução, contendo 1 colher (sopa) de hipoclorito (ou água sanitária) diluído em um litro de água, também por 5 a 10 minutos. Essa solução irá matar os microrganismos que ainda estiverem presentes.

Por fim, enxágua-se bastante em água corrente para retirar resíduos do hipoclorito. Então, estarão prontos para consumir ou guardar na geladeira. 

E os alimentos acondicionados em embalagens de vidro, lata ou plástico?Kimoto – Basta lavar a embalagem com esponja, água e sabão, como se fosse lavar um prato. Enxaguar e guardar. Assim, elimina-se a poeira dos depósitos do supermercado. Isso evita a contaminação dos outros alimentos do refrigerador e a proliferação de bactérias e fungos dentro do armário.

Leia também

Os estabelecimentos que trabalham com alimentos também precisam ter uma rotina mais intensificada de higiene?
Kimoto – Estabelecimentos como restaurantes e lanchonetes seguem a norma da Vigilância Sanitária que os obriga a utilizar a solução de hipoclorito na higienização dos alimentos. É lei e deve ser seguida.

E quanto às sacolas e caixas de papelão de supermercados? Elas podem contaminar os alimentos?
Kimoto – Em geral, as sacolas nunca foram utilizadas, então não haveria problema. Mas as caixas de papelão são reutilizadas, comumente ficam no depósito onde não há um controle de higiene tão grande, podendo vir com sujeira, poeira e bactérias que podem contaminar o alimento. Por isso, ao chegar em casa é importante higienizar todos os alimentos antes de guardar ou consumir, conforme explicado anteriormente.

Quais os cuidados no preparo da comida, em casa?
Kimoto – Basta observar cuidados gerais de higiene, como lavar bem as mãos, pois você está preparando o seu próprio alimento. Já em ambientes comerciais, há cuidados específicos como utilização de luvas, prender o cabelo, usar touca, avental etc. Não é preciso fazer isso em casa. Em relação a utensílios, bancadas e louças, água e sabão é o suficiente. Se quiser, pode usar água fervente sobre a louça lavada. Nas bancadas, pode passar álcool 70%.

Cuidados no armazenamento

É preciso limpar os alimentos/embalagens colocados na geladeira?
Kimoto – Sim, é muito importante guardá-los já higienizados na geladeira ou na despensa, para evitar contaminação dos alimentos que já estão ali. Além disso, é preciso observar o lugar adequado dentro da geladeira para melhor conservar e aumentar sua durabilidade. Se você guardar na região errada, ele pode se deteriorar mais rápido. E o produto estragado pode proliferar bactérias e fungos para outros alimentos.

Por exemplo, o gavetão na base do refrigerador tem temperatura adequada para frutas, verduras e legumes, sem queimar as folhas dos vegetais. Já o iogurte e o leite que podem azedar devem ficar na primeira prateleira, junto com os ovos (em caixinhas fechadas, de preferência). Ovos não devem ficar na porta porque há muita oscilação de temperatura e eles podem estragar ou ocorrer fissuras na casca. 

Na porta, podem ficar bebidas como água, chá e sucos. Queijos e frios são mais perecíveis e precisam ficar na gaveta específica, onde a temperatura é mais baixa. Por fim, a comida que foi cozida e sobrou deve ser guardada em potes fechados, também nas primeiras prateleiras.

Nesse período de quarentena, tente se organizar e pegar todos os ingredientes de uma só vez, seja para alguma receita ou para o café da manhã. O abrir e fechar da geladeira deve ser evitado ao máximo, para manter sua temperatura estável na maior parte do tempo.

O que consumir?

Que tipos de alimentos devemos preferir neste período de quarentena?
Kimoto – Não temos falta de alimentos no mercado, então devemos evitar ao máximo os industrializados. Eles são ricos em corantes e conservantes artificiais, têm gordura hidrogenada e alto teor de sódio – interferindo na pressão arterial, e são pouco nutritivos. Evite pães de supermercado e biscoitos industrializados.

Priorize o alimento fresco porque fornece vitaminas, minerais, boas gorduras (abacate, castanhas, nozes, amêndoa, avelã, azeite de oliva), bons carboidratos (batata doce, aipim, batata salsa, abóbora, inhame, cará e arroz com feijão, lentilha, ervilha e grão de bico) e proteínas (ovo, carne, frango ou peixe, cogumelos). 

Consuma verduras e legumes no almoço e no jantar; e de três a quatro porções de frutas variadas ao longo do dia. 

Se armazenados adequadamente na geladeira ou na despensa, os alimentos frescos podem durar até dez dias. Organize o cardápio para utilizar primeiro os que estragam mais facilmente, e depois os que demoram mais para chegar ao ponto de consumo. 

Posso tomar suplemento de vitamina C para aumentar a imunidade contra o coronavírus?
Kimoto – Nunca devemos tomar suplementos por conta própria. Apesar de ajudar na imunidade, o uso de suplementos de vitamina C e de outras vitaminas e minerais deve ser orientado por um nutricionista porque a dosagem é individual. Não é porque se trata de uma vitamina, que quanto mais consumir melhor, pois quando em alta dosagem podem ser tóxicas ao organismo. 

Entretanto, o alimento é seguro e pode ser consumido. Em geral, as frutas mais ácidas são ricas em vitamina C, como laranja, limão, kiwi, abacaxi, bergamota, carambola, maçã verde, acerola e ameixa vermelha. Goiaba vermelha e manga, que são menos ácidas, também são ótimas opções.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde