Morador de Joinville perde mãe e esposa para Covid-19 em menos de 15 dias

Maria das Graças Antônio dos Santos e Juliana de Jesus Campos morreram com uma diferença de 13 dias; Alessandro também teve a doença

Alessandro Santos perdeu sua mãe Maria das Graças Antônio dos Santos, 67 anos, e sua esposa Juliana de Jesus Campos, 33, para a Covid-19 em um intervalo de 13 dias. Morador de Joinville, ele próprio contraiu o vírus respiratório, mas conseguiu se recuperar.

Maria e Juliana morreram vítimas da Covid-19 – Foto: Arquivo PessoalMaria e Juliana morreram vítimas da Covid-19 – Foto: Arquivo Pessoal

Com o avanço da doença pelo país, Alessandro e Juliana decidiram trazer a mãe dele de São Paulo para o município catarinense. O medo era que Maria, por ser grupo de risco, contraísse o vírus. A viagem, feita de carro por mais de 500 km, foi uma das últimas vezes em que os três estiveram juntos.

Maria foi a primeira a apresentar os sintomas da Covid-19. Em 11 de maio, dois dias após comemorar o Dia das Mães, ela teve dores nos olhos, perdeu o olfato e o paladar e apresentou um pouco de tosse. A idosa foi então levada ao Hospital São José. “Ela [Covid-19] evolui muito rápido. A pessoa está com algum sintoma como febre ou tosse e no outro dia ela já pode estar entubada, foi o caso da minha mãe”, contou Alessandro.

Leia também:

Com saturação baixa, ela precisou ser entubada e levada à UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Na última conversa com a mãe, lembra Alessandro, ela estava quieta enquanto ele tentava acalmá-la. Maria morreu no dia 5 de junho após ficar internada por 25 dias. “Eu só vi minha mãe quando internei ela e depois disso nunca mais. Nem o corpo, nem o caixão”.

A ‘surreal’ Maria, é lembrada pelo filho como uma mulher que sempre quis o bem a todo mundo, especialmente a nora Juliana. “As duas tinham uma união incrível. Estamos assistindo uns vídeos delas, as duas sempre juntas. Uma cuidava da outra”, lembra Alessandro emocionado.

Marido recebia notícias apenas por telefone

Cerca de 12 dias após a internação de Maria, Juliana precisou de ajuda médica e foi então levada ao Hospital São José. Após dois dias internada em leito de enfermaria, precisou ser entubada com urgência, pois já não conseguia respirar. A partir daí, Alessandro passou a receber informações sobre a mãe e a esposa apenas por uma ligação diária do hospital.

Ele também foi infectado pelo vírus. Teve dores nos olhos e febre alta, sintomas que o levaram ao mesmo Hospital São José. O eletricista conseguiu se recuperar após passar três dias em observação e foi liberado para seguir o tratamento em casa. Juliana não.

Durante o período em que esteve internada, ela chegou a apresentar melhoras chegando até a tirar a ventilação mecânica, mas seu quadro piorou se tornando irreversível. Juliana tinha lúpus, uma doença inflamatória autoimune.
Traumatizado pela forma como perdeu a mãe, sem que pudesse se despedir, Alessandro pediu para ver a esposa uma última vez. “Eu consegui entrar na UTI, não ia conseguir ficar com essa coisa na cabeça pensando como ela está, como ela vai ficar”, comenta.

Último adeus na UTI

O último adeus à mãe de suas filhas — de 13 e 14 anos — aconteceu às 14h da última terça-feira (23). “Eu abracei ela e falei para ir com Deus”, disse Alessandro. Juliana morreu às 18h45 daquele mesmo dia.

Assim como Maria, Juliana foi cremada sem que houvesse velório ou cerimônia de despedida. “Optei por fazer a cremação e uma homenagem com as cinzas. É a única forma de eu conseguir fazer uma homenagem para ela também. Se fosse enterro, não poderia ver. Como que uma pessoa vai ser enterrada só o caixão e coveiro? Não desejo essa dor para ninguém”, questiona Alessandro.

O eletricista pretende se afastar do trabalho por um tempo para processar os últimos acontecimentos. O que tem lhe servido de consolo são as mensagens de apoio enviadas por amigos nas redes sociais. “Bom saber que elas eram amadas”.

Joinville lidera ranking das mortes

Joinville é o município com maior número de mortes pela Covid-19 em Santa Catarina. São 33 vítimas segundo dados da SES (Secretaria de Estado da Saúde) divulgados nessa quarta-feira (24). A cidade tem ao todo 1.161 infectados de acordo com o mesmo boletim.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Saúde