Imunização no Brasil: Luiza Helena Trajano fala sobre o movimento “Unidos Pela Vacina”

Empresária explica que, por meio de um aplicativo, prefeituras podem informar a condição de armazenamento de vacinas e movimento conectará doadores

O SC no Ar desta sexta-feira (5) recebeu a empresária Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração Magazine Luiza e do Grupo Mulheres do Brasil.

A empresária explicou mais detalhes sobre o movimento “Unidos Pela Vacina”, que visa resolver os entraves na imunização pública e que tem como objetivo vacinar todos os brasileiros até setembro de 2021.

Após as férias de fim de ano, Luiza conta que não estava bem e decidiu agir. “A vacina é a única saída. São Paulo agora fechou tudo de novo, com recorde de mortes.  Nós só temos um inimigo: o vírus”, destaca.

Assim, a empresária propôs a campanha em uma reunião do IDV (Instituto do Desenvolvimento de Varejo), cujo conselho participa.”Não vamos nos omitir. Vamos fazer uma campanha sem pensar no que não foi feito e queria que vocês viessem conosco”, conta. 

Conectar doadores e prefeituras

O principal objetivo do “Unidos Pela Vacina” é contribuir para que as vacinas cheguem ao governo federal, por meio do Ministério da Saúde, além de conectar doadores e prefeituras. 

Através de um aplicativo, será realizado o levantamento das condições de armazenamento de imunizantes dos 5.570 municípios brasileiros. Até agora, 1.600 prefeituras responderam. Com isso, os doadores podem possibilitar que as unidades de saúde municipais estejam preparadas para quando as vacinas chegarem. 

“No Rio de Janeiro logo terminaremos oito pontos de vacinação, por exemplo. Nós teremos um mapa de todos os municípios”, explica Luiza. 

Os municípios podem entrar em contato por meio do prefeitura@grupomulheresdobrasil.org.br e demonstrar o interesse em participar. Ela incentiva os moradores a entrar em contato com as suas cidades e encaminhar a ideia do movimento.

O grupo também trabalha com a logística de entrega das vacinas e o marketing da campanha. “Várias agências estão trabalhando para divulgar o movimento e a campanha, para explicar que as vacinas são seguras”, aponta.

A empresária reafirma a necessidade de vacinação de pelo menos 70% da população para conter o colapso na saúde.

Confira a entrevista completa no SC no Ar!

+

SC no ar – Entrevistas