Indígena de 44 anos morre 15 dias após ser internada com Covid-19, em Ipuaçu

Esta é a segunda morte confirmada de indígena pelo novo coronavírus em Santa Catarina

O novo coronavírus provocou a morte de mais um indígena no Oeste de Santa Catarina. A vítima é uma mulher de 44 anos, que morreu no Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê, na última sexta-feira (12).

Reserva fica localizada no interior de Ipuaçu – Foto: Reprodução/NDReserva fica localizada no interior de Ipuaçu – Foto: Reprodução/ND

De acordo com o Comitê de Gerenciamento e Monitoramento de Crise do município de Ipuaçu, a paciente morava na Reserva Indígena Xapecó, que fica no interior da cidade.

A indígena estava internada no hospital de Xanxerê desde o dia 28 de maio. O quadro de saúde dela se agravou na madrugada de sexta, quando foi confirmada a morte. 

Leia também:

Este é o primeiro óbito registrado no município em decorrência da Covid-19. “Esta triste notícia nos deixa ainda mais em alerta em relação aos cuidados e prevenção que devemos ter nesse momento de pandemia”, lamentou a prefeitura de Ipuaçu em nota.

Dados desta segunda-feira (15) – Foto: Ascom/NDDados desta segunda-feira (15) – Foto: Ascom/ND

Primeiro caso

Urukã, de 64 anos, foi o primeiro indígena a morrer pela Covid-19 em Santa Catarina. Da etnia Kaingang, ele era morador de Entre Rios, também no Oeste do Estado. Internado por 11 dias no Hospital São Paulo, Urukã morreu no fim da tarde de sexta-feira (5).

A suspeita da secretaria de Saúde de Entre Rios é que ele tenha contraído o vírus de um dos dois filhos, que trabalha em uma indústria da região.

+ Saúde