Conheça iniciativa que ajuda no desenvolvimento de crianças com autismo em Florianópolis

Crianças com autismo ganharam a oportunidade de desenvolver as capacidades motoras e sociais na Capital através do Projeto Estimular, uma iniciativa pioneira em Santa Catarina

O TEA (Transtorno do Espectro Autista) é uma síndrome que causa problemas na comunicação, na socialização e no comportamento. Para minimizar esses sintomas, um projeto de Florianópolis procura incentivar as crianças a praticar atividades que estimulem o convívio social desde cedo. Isso possibilita que elas tenham uma autonomia maior, melhores condições de desenvolvimento e qualidade de vida.

Iniciativa ajuda no desenvolvimento de crianças com autismo em Florianópolis – Foto: Divulgação/NDIniciativa ajuda no desenvolvimento de crianças com autismo em Florianópolis – Foto: Divulgação/ND

“Cada terapia é uma criança por profissional. Então, apesar de ser uma terapia em grupo, ela é bem direcionada para estimular individualmente cada criança dentro de um contexto social, para que ela socialize. Por isso, o nosso interesse em fazer uma terapia em grupo. Trazer qualidade de vida para crianças mais independentes que vão crescer, serão autistas adultos e a nossa busca por autonomia é diária”, explicou a coordenadora do Projeto Estimular, Laryssa Smith.

Para garantir essa independência, as terapias usam vários recursos, como por exemplo os sentidos e até as artes marciais. Segundo Laryssa, “a terapia sensorial busca dessensibilizar a criança do meio externo, como o contato com algumas texturas, alguns cheiros, visuais. Então, a gente busca na terapia sensorial quebrar barreiras para que ela viva uma vida perfeitamente comum como todas as outras pessoas”.

“A gente também tem uma terapia muito legal que é o Jiu-Jitsu adaptado para a TEA. A gente fez questão de trazer um esporte para as crianças, porque é o sonho da família ver o filho fazendo uma atividade esportiva como todas as outras famílias”, completou a coordenadora do projeto.

A piscina pública localizada no Complexo Nego Quirido serve como área de lazer para crianças e jovens de comunidades. O local também é utilizado no projeto com as crianças autistas e é lá que acontece a terapia aquática.

De acordo com Laryssa, “diferente de uma sala, o meio aquático é muito relaxante, é muito calmo pras crianças. Então, é lá que elas conseguem chegar ao ápice do desenvolvimento. É onde elas conseguem, de fato, ouvir e aprender”.

Um dos modelos terapêuticos envolve cães. Os pets fazem sucesso entre as crianças. As atividades com eles despertam a curiosidade, incentivam a interação e a comunicação social.

Para Laryssa, “eles ajudam em comportamentos de agressividade de algumas crianças, na parte de socialização, de autonomia. Então, a gente incentiva que a criança faça as coisas com o cachorro, pentear o pelo, escovar o dente, dar comida. Tudo isso vai refletir fora da sala da terapia”.

Liciane Matos, mãe de Davi, contou que o projeto tem uma importância enorme na vida do filho: “O desenvolvimento do Davi tem melhorado bastante na vida diária, na fala, na terapia sensorial. Em tudo que a gente precisa ajudar no desenvolvimento dele, tem mostrado muita evolução. E cada vez mais para ele ser incluído na sociedade.”

O projeto é totalmente gratuito e com a grande procura deve ser ampliado com a reforma do Centro Pró-Autismo. Segundo o secretário de Cultura, Esporte e Lazer de Florianópolis, Ed Pereira, a expectativa é que o centro seja “referência no Brasil e que, em Santa Catarina, possa atender não só atender quem é de Florianópolis, que outras crianças tenham a oportunidade de se desenvolver e melhorar cada vez mais”.

Saiba mais sobre o Projeto Estimular na reportagem do SC no Ar.

+

SC no ar

Loading...