Itajaí vai distribuir implante contraceptivo que substitui pílula por 3 anos

Método será disponibilizado para mulheres em condições de vulnerabilidade social, adolescentes ou que correm riscos caso engravidem, entre outros critérios específicos

Mulheres em vulnerabilidade social, adolescentes, com situações clínicas de risco gestacional, soropositivas ou com outras especificidades clínicas poderão se beneficiar de um novo método contraceptivo disponibilizado pela prefeitura de Itajaí, o implante subdérmico (Implanon).

O método tem eficácia superior a 99% e durabilidade de três anos. Um implante substitui aproximadamente 1.095 pílulas anticoncepcionais e estará disponível gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) para casos específicos.

Implante contraceptivo será disponibilizado pela prefeitura de Itajaí – Foto: Secom ItajaíImplante contraceptivo será disponibilizado pela prefeitura de Itajaí – Foto: Secom Itajaí

O treinamento dos profissionais de saúde da rede municipal para utilizar o novo método já está em andamento e deve ser concluído até novembro. A capacitação prática é oferecida para ginecologistas e médicos do município para, em breve, ofertar o implante nas unidades de saúde.

“Encerramos as aulas teóricas e iniciamos as capacitações práticas, que devem se estender até novembro. À medida que as unidades forem capacitadas, já poderão iniciar a oferta e colocação destes implantes nas mulheres que estejam dentro dos critérios do protocolo”, afirma Ana Tereza Canziani Pereira Boschi, supervisora da Saúde da Mulher de Itajaí.

Para quem é indicado?

Itajaí disponibilizará o implante para casos de pacientes adolescentes, mulheres em situação de vulnerabilidade social, situações clínicas de risco gestacional, soropositivas, com mais de três cesáreas, multíparas com mais de três filhos, usuárias de drogas, moradoras de rua, puérperas de alto risco e pacientes com comorbidades.

Implante contraceptivo substitui pílulas por 3 anos – Foto: IstockImplante contraceptivo substitui pílulas por 3 anos – Foto: Istock

“Esse método é uma alternativa à cirurgia de laqueadura, mais eficaz e bem menos invasivo”, explica a Ana Tereza. Atualmente, são ofertados gratuitamente à população itajaiense na rede pública de saúde preservativos masculinos e femininos, contraceptivos injetáveis e orais, DIUs de cobre e Mirena (com critérios específicos), vasectomia e laqueadura.

“Viabilizamos a oferta do Implanon pelo entendimento da gestão quanto às gestações não planejadas em nosso município e seu impacto social negativo. Além da necessidade de oferta de um método eficaz, seguro, de longa duração e que independa da mulher lembrar de utilizar”, completa a enfermeira Ana Tereza.

Implante subdérmico

O implante contraceptivo subdérmico ou Implanon consiste em um pequeno tubo de silicone com cerca de 3 centímetros de comprimento e 2 milímetros de diâmetro, que é introduzido pelo profissional de ginecologia no braço da paciente sob anestesia local.

O funcionamento acontece com a liberação de hormônios na corrente sanguínea continuamente, o que previne a ovulação e promove atrofia do endométrio, evitando assim a gravidez.

Entre seus benefícios, está o fato de não necessitar que a paciente lembre de ingerir pílulas anticoncepcionais. O implante também melhora os sintomas da TPM, impede a menstruação e permite que a mulher amamente durante o uso do método contraceptivo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...