‘Já sentimos os efeitos das novas variantes’, diz prefeito de Chapecó

João Rodrigues falou sobre a confirmação dos casos no município e alertou sobre os cuidados para não voltar ao colapso

Em live no fim da tarde desta quinta-feira (15), o prefeito de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, João Rodrigues (PSD), falou sobre a confirmação da presença de três variantes da Covid-19 em moradores do municípios.

O CIEVS (Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde) identificou as variantes: P1 (encontrada de Manaus) e P2 (descoberta no Rio de Janeiro) e a N9.  Dos casos, três são importados e nove são autóctones, ou seja, de circulação comunitária.

Prefeito falou que o município já sentiu os efeitos das novas variantes, mas precisa manter os cuidados. – Foto: Leandro Schmidt/Prefeitura de Chapecó/Divulgação/NDPrefeito falou que o município já sentiu os efeitos das novas variantes, mas precisa manter os cuidados. – Foto: Leandro Schmidt/Prefeitura de Chapecó/Divulgação/ND

De acordo com o prefeito, o efeito dessas variantes já foi sentido na sociedade chapecoense quando o município viveu um crescimento no número de casos no início de março. A intenção, segundo Rodrigues, é tranquilizar, mas alertar a população sobre os cuidados que devem continuar e ser redobrados: usar máscara, álcool em gel e evitar aglomerações.

“Não significa que esse efeito não possa voltar. Ele pode voltar desde que percamos o controle ao parar de testar, tratar e de se cuidar. Como vamos continuar fazendo isso com certeza teremos o controle da doença”, afirmou.

Sequenciamento genético

A médica Aldarice Pereira, coordenadora da CIEVS, explicou que em fevereiro foi feito um sequenciamento genético de 40 pessoas do município que já haviam passado pela Covid-19.

Prefeito de Chapecó, João Rodrigues, falou sobre as novas variantes. – Foto: Leandro Schmidt/Prefeitura de Chapecó/Divulgação/NDPrefeito de Chapecó, João Rodrigues, falou sobre as novas variantes. – Foto: Leandro Schmidt/Prefeitura de Chapecó/Divulgação/ND

“Vieram resultado de 12 exames, um deles foi coletado em dezembro, três em janeiro, sete em fevereiro e um em março. Neles apareceram, além da P1, a presença da P2 e da N9. O primeiro caso de nova variante da N9 foi de um paciente infectado no mês de dezembro”, disse a médica.

Segundo a Aldarice, a variante que está predominando em Chapecó é a P1, que veio de Manaus (AM). Ela esclareceu que em cada variante existem linhagens que modificam o vírus. “Pela observação dos profissionais, a transmissibilidade dessas variantes é maior do que o coronavírus originário”, acrescentou.

Cuidados redobrados

A recomendação da médica é de redobrar os cuidados. “Quem já pegou o coronavírus pode ter uma reinfecção. O objetivo é que as pessoas tenham consciência que essa transmissão é comunitária. É preciso ter muito cuidado”.

O prefeito salientou, ainda, que Chapecó conta com estudantes na rede municipal de ensino de 15 países. “Pessoas essas que moram na cidade e circularam em outros países e podem também ter trazido essas novas variantes do vírus para o município”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde