João Kiyoshi Otuki, comendador do esporte de SC, morre de Covid-19

Ex-presidente da Fesporte ficou um mês internado e perdeu a batalha para a doença na manhã desta sexta-feira (2), em São José

O esporte catarinense perdeu uma de suas figuras mais importantes neste fim de semana para a Covid-19. João Kiyoshi Otuki, dono da maior honraria do setor esportivo de Santa Catarina, morreu na manhã desta sexta-feira (2), aos 73 anos, após um mês internado no Hospital Unimed, em São José, na Grande Florianópolis.

A informação foi confirmada pelos filhos nas redes sociais. A Fesporte (Federação Catarinense de Esportes), se manifestou sobre a morte do professor. “João Kiyoshi deixa um legado imensurável para toda a sociedade. Exemplo de amor ao esporte seja como dirigente ou atleta. Vai deixar saudade”, disse o presidente Kelvin Soares.

Comendador do esporte catarinense, João Kiyoshi Otuki, morreu aos 73 anos com Covid-19 – Foto: Heron Queiroz/FesporteComendador do esporte catarinense, João Kiyoshi Otuki, morreu aos 73 anos com Covid-19 – Foto: Heron Queiroz/Fesporte

A família divulgou uma nota sobre o falecimento. Leia abaixo:

“É com muito pesar que informamos o falecimento do nosso pai, João Kiyoshi Otuki na manhã do dia 2 de abril de 2021”, lamenta a nota publicada pelos filhos Gabriela, Thiago e Michel Otuki.

“Agradecemos a todas as condolências e mensagens de conforto recebidas até o momento e por todo o auxílio durante os últimos 30 dias que ele esteve em sua luta pela vida.

Elas só mostraram o quanto foi querido e admirado por sua vida pessoal e profissional. Quem teve a sorte de conviver com o grande Prof. Kiyoshi sabe como sua presença fará falta em nossas vidas. Exatamente por isso devemos sempre lembrá-lo com gratidão e alegria.

Devido ao momento atual da pandemia e seguindo as normas locais de segurança será realizada a cerimônia de cremação para poucos membros da família.

Temos certeza que todos gostariam de prestar uma última homenagem mas infelizmente teremos que adiar esse momento. Pedimos que todos continuem sua corrente de boas energias como uma forma de homenagem a esse homem incrível.

Agradecemos antecipadamente e que todos possam permanecer com as boas lembranças de nosso pai”.

Destaque em Joinville

Otuki teve também destaque no esporte de Joinville, sendo um dos fundadores da Fundação Municipal de Esportes.

A Prefeitura de Joinville se manifestou, em nota. Leia:

“O prefeito Adriano Silva e a vice Rejane Gambin receberam, com pesar, a informação do falecimento do professor João Kiyoshi Otuki, aos 73 anos, por complicações decorrentes da Covid-19.

Durante sua carreira, ele esteve à frente de diversos projetos exitosos na área esportiva, com destaque para a presidência da Fundação de Esportes da Prefeitura de Joinville e da Comissão Organizadora dos Jogos Abertos de Joinville. Além disso, participou ativamente da criação do curso de Educação Física da Univille, foi comentarista esportivo na imprensa catarinense e ocupou a presidência da Fundação Catarinense de Esporte.

“O desenvolvimento e a profissionalização do esporte são os grandes legados deixado pelo professor Kiyoshi para Joinville'”, destaca o prefeito.

O Sinsej (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região) também se pronunciou sobre a perda e pediu medidas de combate à Covid-19.

“O Sinsej lamenta mais essa morte de mais um servidor público, por conta da falta de uma política pública séria e capaz de frear a transmissão do vírus. Precisamos de ações que priorizem o distanciamento social, que proporcionem às pessoas ficarem em suas casas com um auxílio financeiro suficiente, que acelere a vacina e valorize o serviço público.”

Comendador do esporte catarinense

Em seu currículo, João Kiyoshi Otuki possui a maior honraria do setor esportivo catarinense, a Comenda do Mérito Desportivo do Conselho Estadual de Esporte, recebida em 2002.

“Santa Catarina perde um de seus grandes nomes. Exemplo de empenho e dedicação. Com sua morte fica uma lacuna, mas a certeza de um grande legado deixado para as futuras gerações”, destaca a manifestação de pesar emitida pela Fesporte.

Kiyoshi foi o segundo presidente da Fesporte e dirigiu a entidade no período de 1993 a 1994.

Nasceu em São Paulo, em 20 de julho de 1948. Era licenciado em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduado na Universidade Federal de Santa Catarina.

Iniciou sua carreira como atleta em 1962, representando o Colégio Estadual de Cambará, na modalidade de natação, nos primeiros Jogos Escolares do Paraná.

Em 2019, em Brusque, a Fesporte o homenageou na cerimônia do Acendimento do Fogo Simbólico dos JASC (Jogos Abertos de Santa Catarina) pelos grandes serviços prestados ao esporte catarinense.

Iniciou sua atividade profissional em Santa Catarina em 1971, como docente da Escola Superior de Educação Física e Desporto de Joinville, sendo também professor de prática esportiva na Faculdade de Engenharia de Joinville da Udesc.

Em 1989, assumiu a Divisão de Esportes de Joinville e, em 1990, criou a Fundação Municipal de Esportes, da qual foi presidente até 1992, ano que venceu os JASC, quebrando a hegemonia de 24 anos de Blumenau.

Em 1993, trabalhou no setor de planejamento de Diretoria de Desportos do Governo de Santa Catarina, sendo coordenador da equipe que elaborou o primeiro documento da Política Estadual de Desporto.

Em 1995, voltou às atividades docentes no Cefid/Udesc. De 1996 a 2001 foi comentarista esportivo na TVBV, SBT e TV Cultura, atuando também como professor e coordenador do curso de Educação Física e Esporte da Unisul.

Como professor aposentado Kiyoshi não abandonou o esporte, dedicando-se à prática da natação, sua modalidade preferida. Professor aposentado, virou um supercampeão nas competições master de natação no Estado e pelo país, conquistando várias medalhas e troféus.

Entrou para a história dos JASC como o atleta mais velho a disputar o torneio da natação.

Em 2010, nos 50 anos da competição, em Brusque, João Kiyoshi, então com 62 anos, realizou um sonho de participar da competição como atleta. Nadou por Biguaçu, na prova dos 200 metros nado livre.

Em 12 anos como atleta master da natação Kiyoshi conquistou mais de 500 medalhas e em 2018 foi considerado o melhor atleta brasileiro na sua categoria.

“O esporte catarinense perdeu um de seus grandes protagonistas. João Kiyoshi deixa um legado imensurável para toda a sociedade. Exemplo de amor ao esporte seja como dirigente ou atleta. Vai deixar saudade”, destaca o presidente da Fesporte, Kelvin Soares.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Saúde