Com lote insuficiente de Coronavac, municípios de SC avaliam alternativas para 2ª dose

Novo lote conta com 4 mil doses, mas cerca de 15 mil catarinenses já cumpriram os 28 dias de espera; ND+ contabiliza 14 municípios sem Coronavac

As quatro mil doses de Coronavac destinadas nesta quinta-feira (29) para 13 municípios de Santa Catarina, exclusivamente para a segunda dose, não dão conta de atender todos os moradores do Estado que completaram os 28 dias de espera e estão sem a vacina.

O Cosems (Conselho de Secretarias Municipais de SC) estima cerca de 15 mil moradores atrasados com a segunda dose. Diante do cenário, as prefeituras aguardam a chegada de nova remessa, prevista para próxima semana. Também estudam alternativas, como o empréstimo de vacinas.

Com lote insuficiente de Coronavac, municípios de SC avaliam alternativas para 2ª doseDive/SC destinará as 4 mil doses aos municípios que registraram atraso na imunização da segunda dose – Foto: Prefeitura de Itajaí/Divulgação

O novo lote com 218,5 mil vacinas contra a Covid-19 pousou em solo catarinense por volta das 15h30. São 214.500 vacinas Astrazeneca, produzidas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e outras 4 mil são da Coronavac.

Distribuição das novas doses

Distribuição das 4 mil doses para 13 municípios catarinenses – Foto: Dive SC/Divulgação/NDDistribuição das 4 mil doses para 13 municípios catarinenses – Foto: Dive SC/Divulgação/ND

O montante de Coronavac será distribuído para 13 municípios que estão em falta do imunizante para a segunda dose, segundo a Dive/SC. Os municípios estão especificados no quadro ao lado. Destes, pelo menos cinco receberão montante inferior ao necessário.

Florianópolis conta com 2219 moradores que já completaram os 28 dias. Cerca de 44,2 % seguirão sem a segunda dose. O mesmo ocorre em Rancho Queimado (há 35 moradores sem segunda dose), Santo Amaro da Imperatriz (250),  Barra Velha (300) e Itapoá (250). Em todos essas cidades, há uma parcela que permanecerá atrasada.

Além das atendidas pelo novo lote, o ND+ apurou que Navegantes e Porto Belo operam em sobreaviso. Faltam 500 e 300 doses de Coronavac, respectivamente, para a vacinação de moradores que completam 28 dias no início da próxima semana. Paulo Lopes necessita de 90 doses para aplicar segunda dose em moradores de 65 a 69 anos.

Atraso prejudica campanha

O atraso afeta principalmente a logística da campanha. A segunda dose da Coronavac pode ser aplicada entre 14 a 45 dias, sem prejuízos de saúde, ressalta Daisson Trevisol, presidente do Cosems. Apesar de Santa Catarina contar com outra vacina, o esquema vacinal só pode ser completado com o mesmo imunizante.

A Dive/SC estabelece desde o dia 19 de abril o prazo de 28 dias de intervalo entre as doses da Coronavac (a Astrazeneca tem prazo de três meses). Antes, o prazo era de 21 dias. O aumento foi motivado pelo atraso nas entregas.

Secretário explica falta de doses

Há uma somatória de fatores que contribuem para a falta. Trevisol destaca três. O primeiro seria o atraso na produção de vacinas pelo Instituto Butantan. No contrato com o Governo Federal, estavam previstas 46 milhões de doses até esta sexta-feira (30), a serem distribuídas para todo o país. Mas quatro milhões de imunizantes estão atrasados.

Outro problema é a redução de doses aspiradas dos frascos . “No começo se aspirava dez ou 11 doses de cada frasco. Agora se aspira oito ou nove, devido ao volume” pontua Trevisol. Por fim, alguns municípios mantiveram os 21 dias de espera, comprometendo o estoque.

O problema é também ressaltado pela Dive, que enviou 124 mil doses, nos dias 19 e 23 de abril, para a segunda aplicação. “Com o quantitativo de doses enviado pela SES nas datas acima e, considerando o novo intervalo, de 28 dias […], todos os municípios deveriam ter, neste momento, doses suficientes para aplicação da dose 2” justificou o órgão, em nota.

Municípios buscam alternativa

A principal expectativa é a chegada de uma nova remessa de Coronavac, prevista para pousar em solo catarinense entre segunda e quarta-feira (5). Caso não seja cumprida, é discutido um “empréstimo” entre municípios. Aqueles que teriam doses excedentes, repassariam aos prejudicados, adianta Trevisol.

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) também realiza tratativas para acelerar a chegada de 60 mil doses para Santa Catarina. Elas atenderiam, todo o grupo que já tomou a primeira dose da Coronavac. A pasta se reúne nesta sexta-feira (29) com os municípios para tratar sobre o tema.

O Ministério da Saúde orienta que a população tome a segunda dose, mesmo que fora do prazo recomendado. Uma nota técnica foi enviada aos municípios nesta segunda-feira (26), orientando quando ao atraso nas  atuais etapas e o ajuste necessário.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Saúde

Loading...